Publicidade

Arquivo da Categoria charges

quarta-feira, 28 de outubro de 2009 charges, jogadores | 17:40

Vieri no Fogão

Compartilhe: Twitter

Quinta-feira passada, com vários quilinhos a mais, o italiano Christian Vieri anunciou o fim de sua carreira. Uma semana depois, o Botafogo de Ribeirão Preto anuncia sua contratação. Portanto, embora pareça maldade, pode-se dizer que o clube ganhou um novo ex-jogador. Nada que incomode seu presidente, Luiz Antônio Pereira, que num arroubo de sinceridade afirmou à ESPN Brasil: “É mais pelo marketing mesmo”.

Não cabem críticas ao clube ou ao jogador. O barulho que queria fazer, o Botafogo conseguiu antes mesmo da assinatura do contrato, com valioso espaço dedicado ao episódio na mídia brasileira. Quando (e se) o italiano chegar, jogar e marcar (?), então…

Vieri, menos que um bom emprego, conseguiu vir jogar no Brasil, coisa que, sabe-se lá por que, diz ser um sonho. Para sorte dos corintianos, em vez de recorrer ao seu velho e grande amigo Ronaldo, deve trazer um personal-parceiro-de-baladas, o ex-lateral-esquerdo Francesco Coco, que, apesar de ter jogado a Copa de 2002 pela Itália, notabilizou-se mais pela beleza do seu time de ex-namoradas — entre elas Gisele Bündchen — e por ter anunciado, aos 30 anos (hoje tem 32), o prematuro fim de sua carreira para “virar ator”.

A vinda de Coco, parece evidente, é um pedido de Vieri: fizéssemos aqui a seleção dos maiores baladeiros do futebol mundial, ambos seriam candidatíssimos ao time titular. Se serão titulares também no Botafogo, não sei — e nem parece o caso, por ora, de entrar na questão técnica.

Há quem aposte que o Pingüim, famosa choperia de Ribeirão Preto, será a principal beneficiada pelas contratações. Pode até ser, mas não quero saber. Vieri em Ribeirão Preto já é uma das mais divertidas histórias do futebol brasileiro em 2009. Tomara que continue a ser em 2010, quando o italiano, eleito pela World Soccer um dos 100 melhores jogadores do século 20, ostentar a camisa do Botinha em jogos palpitantes contra Mirassol e Monte Azul…

Abaixo, a ótima charge de Milton Trajano sobre o tema.

vieri-botafogo

Para ler a notícia sobre a contratação de Vieri pelo Botafogo, clica qui.

Autor: Tags: , , ,

quarta-feira, 22 de abril de 2009 charges, roma, Sem categoria | 17:48

Roma alemã

Compartilhe: Twitter

Milton Trajano

Para provar que não sumi de vez, vou deixar aqui a charge de Milton Trajano sobre a informação de que a Roma pode ser comprada por uma família alemã.

Talvez seja só fumaça, talvez não. Mas o fato é que toda vez que se fala na compra de um clube italiano por milionários estrangeiros, esse clube é sempre a Roma. E não é só porque Moratti e Berlusconi não precisam vender nada. Mas porque a Roma, pela estrutura da qual já desfruta, o interesse que desperta e o potencial de crescimento que tem, é sem dúvida o melhor negócio do futebol italiano.

Mais tarde, ou talvez só amanhã, volto com mais. Incluindo a semifinal da Copa da Itália e uma passada geral no Italiano.

Autor: Tags: ,

sexta-feira, 17 de abril de 2009 charges, jogadores | 10:46

Vieri no Brasil? Anfitrião corintiano

Compartilhe: Twitter

Clique aqui para a versão da charge de Vieri com a camisa do Palmeiras

 
E agora aparece essa notícia de que o Flamengo poderia contar com o atacante italiano Christian Vieri para jogar o Brasileirão. O vice-presidente do Fla negou que tenha procurado o jogador, mas confirmou, quem diria, que o veterano artilheiro foi oferecido ao clube por seu representante. Segundo Leite, porém, o negócio não evoluiu — e nem deve.
 
Não há porque duvidar da informação, se a gente levar em conta que Vieri, também por suas inúmeras lesões, vem fazendo temporadas melancólicas no futebol europeu desde 2005-06. Milan, Monaco, Sampdoria, Atalanta, Fiorentina e de novo Atalanta foram seus times desde então. E a partir daí sua média de gols foi de algo em torno de 2,3 por ano.
 
O abastado Vieri, de repente, não quer mais saber de grana. E um tempinho jogando futebol no Rio de Janeiro, para um cara como ele, amante das boas coisas da vida, não seria nada mal. Talvez ele tenha ficado impressionado e se espelhado no bom desempenho do amigão Ronaldo (aí ao lado ambos treinam juntos, nos tempos de Inter) neste início de ano. Alguém que, como ele, não conseguia mais jogar futebol na Europa por causa de problemas físicos.
 
Sei lá, tudo é possível, embora a imprensa esportiva italiana mais séria não tenha dado sequer uma linha a respeito até agora. Notícias de Vieri, depois de sua viagem aos Estados Unidos para tratar de uma possível transferência ao Los angeles Galaxy, só sobre pôquer, o “esporte” (os americanos juram que é) ao qual o italiano vem se dedicando nos últimos tempos, depois de romper com a Atalanta por causa das vaias dos torcedores.
 
“O meu futuro ainda é no futebol. Só vou parar quando cansar de correr atrás de uma bola. E não estou cansado. Mas quando eu me aposentar, quem sabe não viro um profissional do pôquer?”, disse Vieri, há poucos dias, à Gazetta dello Sport.
 
Então é isso: Vieri não quer parar. E pensei aqui que, se não interessa ao Flamengo, pelo menos ao Palmeiras ele deveria interessar. Não, nada a ver com as origens italianas do Palestra… É que, pra quem não sabe, nos tempos de Itália, Vieri era um dos principais parceiros de Ronaldo nos agitos milaneses.
 
E no Palmeiras, mesmo que não funcionasse para fazer gols, o italiano pelo menos daria uma forcinha para diminuir a potência do ataque do arquirrival. Afinal de contas, quem vocês acham que seria seu anfitrião aqui na terra da garoa?

Autor: Tags: , ,

sexta-feira, 23 de janeiro de 2009 charges, jogadores, roma | 16:02

Mais Roma, a pedidos

Compartilhe: Twitter

Da rodada do fim de semana, como de costume, falo depois do jogos.

Agora vou aproveitar o belo trabalho de um leitor, o Arthur Fujii, para atender ao pedido de outro, o Juliano Colla. O Juliano pediu que eu escrevesse mais sobre Roma (há quem ache que eu falo muito, viu?), e só então me lembrei de uma bela charge que o Arthur me mandou há algum tempo, com todo o elenco romanista, e acabei esquecendo de publicar.

Na verdade, ele me mandou a versão original e também uma outra, publicada pelo jornal Il Romanista, onde constam os dados dos contratos dos atletas do clube. Portanto, vou preferir publicar essa segunda versão, com as informações contratuais.

Dei uma olhada e, acho, está tudo válido. Se alguém souber de mudanças recentes, por favor avise que relacionarei neste mesmo post, abaixo da charge — aliás, a propósito, Juan está muito perto de renovar seu contrato.

Autor: Tags: , ,

quinta-feira, 8 de janeiro de 2009 azzurra, charges, fora dos campos | 10:29

Futebol & arte

Compartilhe: Twitter

Sobre o post abaixo, mais uma ótima charge de Milton Trajano:

Autor: Tags: , , ,

quarta-feira, 5 de novembro de 2008 charges, imprensa, inter, liga dos campeões, roma, Sem categoria | 11:13

A charge e as notas

Compartilhe: Twitter

Antes de qualquer comentário, uma charge de Milton Trajano e as notas dos jogadores dos times italianos para Roma 3 x 1 Chelsea e Anorthosis 3 x 3 Inter, segundo o Corriere della Sera. A Gazzetta, em sua versão brasileira, não deu as notas. Mas, pra gente ter uma idéia do tom com que tratou as equipes, estampou em sua manchete: “Roma imperial; Inter provinciana”.

ROMA (Enfim, com ‘novo’ sistema)
Doni 6,5, Cicinho 7, Mexes 7,5, Juan 6,5 e Panucci 8; De Rossi 7, Perrotta 6,5 (Taddei s/n), Pizarro 7,5 e Brighi 8; Totti 7 (Julio Baptista 6) e Vucinic 8,5 (Riise s/n).

INTER
Júlio César 6,5, Maicon 6, Burdisso 4 (Vieira 5,5), Materazzi 6 e Zanetti 6; Stankovic 6 (Cruz 6,5), Cambiasso 6,5, Quaresma 6 e Mancini 5 (Maxwell 5,5); Balotelli 6,5 e Ibrahimovic 5,5.

E aí? De acordo?

Autor: Tags: ,

quarta-feira, 24 de setembro de 2008 charges, jogadores | 16:15

Zanetti 600 e os ‘jogadores-bandeira’

Compartilhe: Twitter

Tenho um amigo são-paulino que não gosta desse papo de jogador-símbolo. O bicho se irrita quando, badalado, um ‘ex’ volta ao clube onde se consagrou mais pelo passado do que por qualquer outra coisa. Ele acha, resumindo, que o cara só vira ídolo de um time por uma questão de oportunidade, de estar na hora certa no time certo — e, sobretudo, não ter propo$tas melhores de outras equipes naquele momento.

Javier Zanetti acaba de entrar em campo contra o Lecce e completar 600 jogos pela Internazionale. E falo de jogos oficiais. Partidas do tipo valeria-pra-contagem-de-gols-do-romário não entram na brincadeira: são 433 pelo Italiano, 112 em copas européias e 55 em copas nacionais. Amistoso contra o La Spezia, nem pensar, tá fora. Jogos contra o time do exército argentino ou os padres de Milão também.

Zanetti está na Inter desde 1995 e é o terceiro jogador que mais atuou pelo clube, atrás apenas de Giacinto Facchetti (634) e Giuseppe Bergomi (756). E se a gente levar em conta que, apesar dos 35 anos, só no Italiano passado Zanetti atuou 38 (!) vezes, Facchetti deve perder a vice-liderança ainda nessa temporada.

Mas, voltando ao amigo são-paulino, sou o contrário dele. Adoro que um ídolo dos velhos tempos volte para o meu time. Acho demais que o craque da minha equipe frequentasse as arquibancadas como torcedor antes de virar jogador. O cara nunca ter vestido outra camisa, então, é o máximo que pode haver.

Pode ser romantismo e, no caso do Brasil, quase utopia (Marcos, Ceni e quem mais?). Na Itália (e na Europa em geral), porém, contar com um jogador com esse perfil, o perfil de Zanetti, é quase que obrigatório para os grandes times. Acha que não? Então dê uma espiada aqui:

PAOLO MALDINI, MILAN
40 anos e 873 jogos pelo clube
Ganhou “só” 7 Campeonatos Italianos, 5 Ligas dos Campeões, 3 Copas Intercontinentais (inclui Mundial), uma Copa Itália, 3 Supercopas Italianas e 4 Supercopas Européias. Falta só a Uefa: será agora?

JAVIER ZANNETTI, INTER
35 anos e 600 jogos pelo clube
Ganhou 3 Campeonatos Italianos, 2 Copas Itália, 4 Supercopas Italianas e uma Copa da Uefa.

ALESSANDRO DEL PIERO, JUVENTUS
33 anos e 564 jogos pelo clube
Ganhou 5 Campeonatos Italianos, uma Liga dos Campeões, uma Copa Intercontinental, 4 Supercopas Italianas, uma Supercopa Européia e uma Copa Intertoto.

FRANCESCO TOTTI, ROMA
32 anos e 510 jogos pelo clube
Ganhou um Campeonato Italiano, duas Copas Itália e duas Supercopas Italianas.

Mas nem tente definir qual deles é mais “símbolo” do seu time. Os números de Maldini, óbvio, são praticamente imbatíveis. Mas garanto que interistas, juventinos e romanistas têm todos bons argumentos para eleger o seu ídolo como “rei dos reis”.

Para saber tudo sobre a rodada, incluindo os detalhes dos jogos dos grandes, clique aqui.

Autor: Tags: , , , ,

sexta-feira, 19 de setembro de 2008 charges, fora dos campos, inter | 17:03

Três rapidinhas

Compartilhe: Twitter

Primeiro, uma foto:


A imagem é do dia 14, quando Dieguito foi com o agasalho da Inter, ao lado de uma das filhas, assistir a mais um jogo do Boca pelo Campeonato Argentino. Libertadores, Eliminatórias, Liga dos Campeões, campeonatos europeus e sul-americanos. Pode ser o que for, Maradona estará lá. Mais recentemente, ele foi ver jogos de tênis da Argentina na Davis. A Olimpíada, claro, também não passou em branco, com hóquei, basquete, vôlei e futebol, entre outros esportes, prestigiados. Outro dia, Diego fez questão de abraçar Valentino Rossi depois de uma provinha de motovelocidade.

Por isso tudo fiquei intrigado quando li que ele teria se oferecido para trabalhar na Inter. Fiquei imaginando Dieguieto abrindo mão dessa vidona e despachando com Massimo Moratti todos os dias de manhã. Depois, tudo explicado: Maradona seria (será?) uma espécie de olheiro (e um pouco mais) da Inter na América do sul.

Faz sentido. Nenhum olheiro deve ter olhado mais que Maradona no planeta. E, claro, alguma coisa do assunto ele entende…

Depois, um fato:

Técnico da Itália assistirá a campeonato de futebol na prisão (não, a Federação Italiana não contratou Gascoigne — o campeonato é que é na prisão, que fique bem entendido)

MASSA, 19 SET (ANSA) – O técnico da seleção italiana de futebol, Marcelo Lippi, será o convidado de honra de um campeonato que acontecerá na penitenciária da cidade de Massa, na Toscana, no próximo dia 22 de setembro.

A competição é composta por uma equipe de presidiários, um time de agentes carcerários, um time misto de políticos e empresários da província de Massa-Carrara e pela seleção italiana de religiosos, que será dirigida na ocasião por Renzo Ulivieri, ex-treinador do Bologna e do Reggina.

* Pensei aqui: em ‘certos’ países, o time de presidiários acabaria indo ao Tapetão contra o time políticos. Jogador atuando irregularmente por outra equipe… hihihi

E, enfim, uma charge:

O Gílson colocou nos comentários abaixo o link para uma charge sobre Milan. Achei engraçada, fui fuçar no Youtube e viciei. Não conhecia a série.

A do Milan, mais recente, ainda não está disponível no Youtube. Mas há muitas outras, meio passadas mas muito engraçadas pra quem entende italiano. Vou deixar abaixo um exemplo e quem quiser mais pode clicar aqui

Autor: Tags: , ,

quarta-feira, 17 de setembro de 2008 charges, liga dos campeões, roma | 17:22

Totti e seu algoz

Compartilhe: Twitter

Sobre o post abaixo, Milton Trajano não resistiu:

Para ver mais charges do Trajano, é só dar um pulo no blog de Charges do iG Esporte.

Autor: Tags: , ,

segunda-feira, 21 de julho de 2008 charges, opinião, Sem categoria | 15:03

A festa dos números

Compartilhe: Twitter


Ronaldinho e a escolha do 80, por Milton Trajano

Pronto. Está decidido: nem 10, nem 11, nem 20. O número de Ronaldinho no Milan será… 80. Mancini, por sua vez, escolheu o 33 na Inter.

As escolhas me fizeram lembrar de um texto publicado na revista Placar em maio de 2005, escrito pelo colunista mais irado da cidade (e hoje compositor do grupo Zé Total, ele pede para acrescentar), Enrique Aznar. Lá vai:

“Vou dizer uma coisa: é palhaçada. Os caras são titulares e ficam usando camisa de número grande. O Beckham é o 23. O Kaká, 22. O Henry, usa a 14. Eu sou do tempo em que titular ia do 1 ao 11. O resto era reserva. Quando eu era moleque e disputava campeonatos, se o técnico me desse a 13 eu queria sumir. Sabia que ia esquentar o banco. Ter um número grande às costas era como um aviso, um carimbo: “Esse é grosso, perna-de-pau, é o banco do 7”. Hoje, não. Começa o jogo e tá lá o 17, o 29, o 31. Dizem que é marketing, pra vender camisa. Não sei quando começou essa droga, se foi com o Cruyjff em 74 ou outro débil mental antes dele. Ah, teve até um argentino que jogou Copa do Mundo com a 1. E o cara era volante, meia, sei lá! E o Zamorano vestiu uma da Inter de Milão que era assim, ó: “1 + 8”. Pra somar e dar 9, porque ele teve que ceder o 9 pro Ronaldo. Meu velho já falava em bom portunhol: “Hijo, la modernidad es una grán buesta.”

Autor: Tags: , ,

  1. Primeira
  2. 1
  3. 2
  4. 3
  5. Última