Publicidade

Posts com a Tag buffon

sexta-feira, 9 de abril de 2010 campeonato italiano, jogadores | 10:44

Problema médico

Compartilhe: Twitter

Pato: vai e volta de lesões jogando pelo Milan

Não fosse o surpreendente fiasco dos até ontem badalados times ingleses e a convincente classificação da Internazionale para as semifinais da Liga dos Campeões da Europa, o alarde sobre a crise do futebol italiano seria bem maior. A crise, contudo, segue aí, comprovada pela iminência de o futebol tetracampeão do mundo perder uma vaga para a Alemanha no principal torneio da Europa— para a Liga de 2011-12, a situação é quase irreversível.

Os motivos da crise? Vários são elencados pela imprensa italiana, desde o domínio dos Ultras (as torcidas organizadas de lá) nos estádios, passando pelos comprovados casos de corrupção de árbitros ou dirigente e chegando ao alto percentual de impostos cobrados dos salários dos jogadores, o que dificultaria a contratação de estrelas do exterior.

Em outro motivo, porém, pouco se fala: a incompetência dos departamentos físicos e médicos dos principais clubes italianos como Milan, Roma e Juventus. Totti, Pato, Nesta, Del Piero… Não são poucos os exemplos pontuais, assim como é constante haver um grande número de desfalques por questões médicas e/ou físicas destas equipes, em qualquer jogo. O problema tem reflexo no Campeonato Italiano, claro, mas sobretudo nas competições continentais, onde as lesões dos times não se “equivalem” com as dos adversários. 

O melhor exemplo, porém, talvez seja a base da seleção italiana “ideal” na cabeça de Marcelo Lippi. Vejamos: Buffon, Zambrotta, Cannavaro, Chiellini, Grosso, Camoranesi, De Rossi, Marchisio, Pirlo, Totti e Iaquinta. Só mesmo a Itália conta com um time-base do qual 5 dos 11 “titulares” tem perdido ou perderam grande parte da temporada por lesão. É que, na Itália, estar machucado tem sido a regra, não a exceção.

Autor: Tags: , , , , , , , , , , , ,

sexta-feira, 6 de novembro de 2009 Sem categoria | 12:22

9 entre 100

Compartilhe: Twitter
Santon: jovem surpresa na lista da FourFourTwo

Santon: surpresa na lista da FourFourTwo

São 9 os jogadores italianos na lista dos 100 melhores da atualidade divulgada na edição de novembro da conceituada revista inglesa FourFourTwo. A eles:

30º – De Rossi (Roma)
35º – Buffon (Juventus)
53º – Pirlo (Milan)
54º – Totti (Roma)
60º – Chiellini (Juventus)
67º – Cassano (Sampdoria)
77º – Gilardino (Fiorentina)
82º – Del Piero (Juventus)
99º – Santon (Internazionale)

Entre os 10 primeiros colocados da relação, apenas um joga no futebol italiano: Samuel Eto’o, da Inter, que ocupa a 9ª colocação. A Série A também fica atrás das ligas de Inglaterra e Espanha no número total de jogadores entre os 100: são 23, contra 33 da Premier League e 29 da Liga. Para saber mais sobre a relação, clique aqui.

Autor: Tags: , , , , , , , , , ,

terça-feira, 6 de outubro de 2009 inter, jogadores | 16:59

Foi sem querer querendo?

Compartilhe: Twitter
Ingênua ou esperta? Hein?

Susana: ingênua ou esperta? (Foto: TV Jam)

Resolvi hoje, pela primeira vez em 35 anos, dar uma espiada no blog da Susana Werner, modelo, atriz e mulher de Júlio César, goleiro da Inter e da seleção brasileira. Fui pra lá instigado pela notícia “Mulher de Júlio César revela que goleiro está na mira de ‘grande clube‘”, que recebemos aqui no iG pela agência Gazetapress.

O post do blog de Susana diz assim (desse ‘jeitinho’ mesmo, tudo com caixa alta):

“ESTOU PASSANDO POR UMA SEMANA CHEIA DE GRANDES EMOÇÕES : MEU FILHO COMPLETOU 7 ANOS E MEU MARIDO TEM SIDO “ASSEDIADO” POR UM GRANDE CLUBE … BOM, EU NÃO TENHO INTENÇÀO DE SAIR DAQUI, MAS FUTEBOL TEM DESSAS COISAS NÉ, A GENTE NUNCA SABE O QUE PODE ACONTECER E EU NÃO SEI DE NADA DA PARTE PROFISSIONAL DO JU, NÃO ME METO, MAS NÃO SÓ TENHO ESCUTADO ESSA HISTÓRIA COMO LI EM ALGUNS SITES…”

O clube, Susana não escreve, mas escancara nos links que indica na sequência em seu blog, é o Manchester United, da Inglaterra.

Deixarei de lado aqui a emoção sobre os 7 anos do pimpolho.

Mas, ao escrever no blog que seu marido tem sido assediado por um grande clube, Susana transformou em destaque de alguns dos principais sites esportivos do planeta uma informação que até então era apenas boato em sites de credibilidade discutível.

Pode ter sido ingenuidade? Pode. Mas só sendo muito ingênuo para ter certeza disso. Porque o post de Susana, convenhamos, pode muito bem ter sido um jeito de começar a arrancar alguns euros a mais de Massimo Moratti, o proprietário da Inter.

Hoje, Júlio César, cujo contrato vai até 2013, recebe da Inter 4 milhões de euros por ano. Mesmo valor daquilo que Dida recebe no Milan e 1,5 milhão de euros a menos daquilo que Buffon ganha na Juventus.

Aliás, se a gente olhar só por esse aspecto, a reivindicação (voluntária ou não) de Susana é mais do que justa. Afinal, hoje, Júlio César está bem mais para Buffon que para Dida.

Autor: Tags: , , , , ,

segunda-feira, 21 de setembro de 2009 campeonato italiano, inter, jogadores, juventus, milan, roma | 18:43

Jogo por jogo

Compartilhe: Twitter

Um pouco tarde — eu sei —, a quarta rodada em linhas. 

Cassano: de novo, melhor em campo

Antonio Cassano: de novo, o melhor em campo

Napoli 0 x 0 Udinese
Várias chances, nenhum gol. Ou melhor, um gol mal anulado de Di Natale, que chegaria a 7 na artilharia do Italiano. No Napoli, Lavezzi foi o melhor: criou, criou, mas Hamsik, duas vezes cara a cara, desperdiçou. E Donadoni, cada dia mais pressionado, já começa a balançar de acordo com parte da imprensa italiana.

Juventus 2 x 0 Livorno
Mais uma vez nesta temporada, Buffon mostrou que voltou a ser o velho Buffon. Mas, convenhamos,  algo não vai bem se o goleiro está se destacando em todos os jogos — especialmente em um contra o Livorno, em Turim. Sem Diego, Camoranesi assumiu a função de garçom: deu os dois passes dos gols de Iaquinta e desse ótimo Marchisio, que é a cada dia menos promessa e mais realidade.  

Milan 1 x 0 Bologna
Seedorf resolveu de novo, mas desta vez nem jogava tanto como fez em Marselha, na Liga dos Campeões. No jogo pouco empolgante contra um candidato ao rebaixamento, houve também duas bolas na trave para os milanistas: uma num chute de Pato, outra em outro de Inzaghi. Ronaldinho Gaúcho? Leia o post abaixo, só dele…


Bari 4 x 1 Atalanta

Jogo de um time só, o Bari. Candidato ao rebaixamento no início do torneio, a equipe está invicta no Italiano, com três empates e uma vitória. Já a pobre a Atalanta, com seu astro Doni inicialmente no banco (recuperando-se de lesão), ainda não pontuou e já demitiu o técnico Gregucci. Antonio Conte assume seu lugar.

Cagliari 1 x 2 Inter
De novo, a Inter sofreu demais para ganhar. E só ganhou, de virada, graças a duas bobeiras da defesa do Cagliari em menos de5 minutos. Bobeiras que o argentino Milito soube aproveitar. O atacante brasileiro Nenê até que estreou bem entrando no meio do jogo para o time da casa, que teve seu gol marcado por outro brasileiro, o bom e velho Jeda, de pênalti.

Catania 1 x 1 Lazio
Em uma Lazio dilacerada, Foggia foi, de novo, o melhor — nasceu dele a jogada do gol de empate, marcado pelo ex-interista Julio Cruz, que saiu do banco. Para o Catania, o resultado foi ingrato: o time perdeu muitas chances tanto quando vencia por 1 x 0 como quando o jogo já estava 1 x 1. Poderiam ter sido três, e não apenas um, seus primeiros pontinhos no torneio.

Chievo 3 x 1 Genoa
Foi a única surpresa da rodada. Mesmo em Verona, a derrota para os até então líderes do Italiano não era esperada. Pelo menos não era até a escalação inicial, com seis mudanças em relação ao time que estreou com o pé direito na Liga Europa. O resultado foi justo, e o grande confronto entre Genoa e Juve, na próxima quinta, perdeu um pouco da graça.

Parma 1 x 0 Palermo
Gol marcado pelo campeão do mundo Zaccardo ( alguém não lembra dele na Copa? Não culpo). O jovem Paloschi desta vez não marcou, mas acertou o travessão. E, no segundo tempo, com a entrada de Miccoli, o Palermo foi melhor — só não deu para chegar ao empate.

Sampdoria 4 x 1 Siena
Para parecer que sou só eu quem diz, vou reproduzir aqui a frase da Gazzetta dello Sport sobre Cassano, eleito ontem, pela enésima vez, o melhor em campo em mais uma vitória da líder do campeonato. A explicação para a nota 7,5: “O que precisamos explicar? Assistam os highlights do FantAntonio e vocês entenderão. Futebol puro”. Tem sido sempre assim.

Roma 3 x 1 Fiorentina
O que Cassano foi para a Samp ontem, Totti foi para a Roma. Com uma diferença: dois gols marcados. Também ficou claro que o time da capital precisa muito de Vucinic ou de algum “similar”, que hoje, em seu elenco, não há. A Fiorentina sumiu no primeiro tempo. E Mutu, com o problema dos 17 milhões de euros a pagar ao Chelsea, sumiu nas últimas semanas. Preocupante para a equipe de Florença, que não pode prescindir do romeno.

Autor: Tags: , , , , , , , , , ,

quarta-feira, 16 de setembro de 2009 liga dos campeões, milan | 11:15

As estreias italianas

Compartilhe: Twitter
Time celebra com Cannavaro, após belo passe para gol da Juve

Time celebra com Cannavaro, após belo passe para gol da Juve: machucado, ele saiu de campo aplaudido

Foi decepcionante a estreia da Juventus na Liga, na mesma medida em que foi suspreendente o começo do Milan.

Em que pese o gol impedido do Bordeaux, a Juve não mereceu vencer. Foi inferior em todo o primeiro tempo e em boa parte do segundo. Diego fez muita falta, embora Giovinco até tenha criado algumas boas jogadas. Pior, como disse o Pedro nos comentários abaixo, foi (de novo) a atuação do Tiago, na vaga de Camoranesi: marcou pouco e criou menos ainda.

Destaques positivos foram dois: primeiro, a confirmação da ótima fase de Buffon, que já tinha ficado clara na seleção italiana. Depois, a volta por cima de Cannavaro, que deu o belo passe para o gol de Iaquinta (lembrou suas grandes atuações na Copa de 2006) e foi aplaudidíssimo pela torcida (aquela mesma que o vaiou em sua chegada) ao deixar o campo machucado.

Aliás, quando uma zaga em geral formada por Cannavaro e Chiellini passa a ter Zebina e Legrotaglie, as chances de o time sofrer um gol crescem aproximadamente 486%….

No outro confronto entre italianos e franceses, o Milan venceu o Olympique mesmo tendo feito pouco, muito pouco, na segunda etapa.

E é triste, mas a ausência de Ronaldinho Gaúcho foi determinante para a vitória. Afinal, o brasileiro deixou o time titular para a entrada de Inzaghi, que jogou ao lado de Pato no ataque. Inzaghi, como se sabe, marcou os dois gols da vitória por 2 x 1. Como se não bastasse, Seedorf, que atuou justamente na posição do campo em que Ronaldinho vinha atuando, criou as duas jogadas dos gols milanistas e foi o melhor em campo.

Diante disso, convenhamos, a expectativa de Ronaldinho “se consolidar” na reserva milanista é enorme.

Hoje
É claro que a partida entre Inter e Barça é de longe a mais aguardada dessa primeira fase da Liga. Mas, pensando em classificação, o jogo da Fiorentina, fora de casa contra seu provável “adversário direto” pela segunda vaga do grupo — o Lyon —, é provavelmente o mais importante dos italianos nessa primeira rodada.

Autor: Tags: , , , ,

sexta-feira, 14 de agosto de 2009 jogadores, juventus, le ragazze, Sem categoria | 11:45

Sobre o post abaixo

Compartilhe: Twitter

Ok, também não vamos perder o bom humor. Por isso mesmo vou reproduzir aqui, a respeito do último post, a resposta que recebi no meu Twitter do Leonardo Bertozzi, da Trivela (e agora companheiro de ESPN):

“@gianoddi é que o Buffon tem um argumento meio forte em casa, haha.”

O engraçadão se refere, claro, à mulher do Buffon, Alena Seredova. Pra quem não a conhece, ei-la:

Autor: Tags: , , ,

quinta-feira, 13 de agosto de 2009 jogadores, juventus, vídeos | 18:39

Questão de lógica

Compartilhe: Twitter

Os mesmos boçais que não gritam o nome do Richarlyson (ou, pior ainda, o ofendem) nos jogos do São Paulo provavelmente não exaltariam Buffon, Legrotaglie, Camoranesi e Sissoko se fossem torcedores da Juventus de Turim.

Afinal, “macho que é macho não posa desse jeito para foto de propaganda de creminho”, como esta publicada dia sim dia não nas edições dos principais jornais esportivos da Itália:

Ô mundinho de merda…

Quer o vídeo? Também tem:

Autor: Tags: , , , , ,

terça-feira, 5 de maio de 2009 campeonato italiano, inter, juventus, milan, roma | 10:01

Uma crise de todos

Compartilhe: Twitter

No mundo do futebol, se um time está “em crise”, invariavelmente algum de seus rivais estará em alta. Porque o estar mal, em geral, pressupõe que há uma outra equipe ocupando seu lugar e conseguindo as vitórias que você não consegue, certo? Errado. Pois cheguei à conclusão, depois da rodada do último fim de semana, que o Campeonato Italiano conseguiu o incrível feito de ter, de um jeito ou de outro, todos os seus principais times, aqueles que eram candidatos ao título no início da temporada, “em crise”. Isso inclui, incrivelmente, até a campeã. Vamos conferir:

* Comecemos pela mais óbvia das crises, a da Roma. Cuja torcida presente no estádio Olímpico no empate por 0 x 0 contra o Chievo (!) trocou as músicas de Antonello Venditti por sonoras vaias, protestou entrando só no fim do jogo e ainda gastou um monte de pano para levar faixas com a inscrição “vattene” (numa tradução livre, “se mandem”) não se sabe bem se para a presidente Rosela Sensi, se para o técnico Luciano Spalletti ou se para boa parte do elenco. Aliás, sabe-se: para todos eles, com exceção de Totti (claro..), De Rossi, Brighi e Vucinic.

* Também na linha das crises tradicionais está a da Juventus, onde o técnico Claudio Ranieri está tão sozinho que chega a dar dó – mas ao contrário do antecessor Deschamps, que passou pelo mesmo, o italiano garante que não vai pedir as contas. Capítulo curioso e novo foi o fato de Buffon, no intervalo, ter entrado em campo antes dos colegas, bufando (desculpem o trocadilho) e xingando muito. Diiiizem que teria ficado puto com Camoranesi e Del Piero, que teriam tido um sério bate-boca nos vestiários, quando a Juve ainda perdia do Lecce por 1 x 0. Coincidência ou não, ambos foram substituídos. E a Juve virou. Mas, como não podia deixar de acontecer com um time em Crise com cê maiúsculo, mesmo em Turim, levou o empate do poderoso vice-lanterna já nos acréscimos.

* E a campeã? Já escrevi na coluna do Jornal Placar da semana passada que a Inter é a campeã mais melancólica da Europa. Tivesse esperado uma semaninha para escrever o tal texto, poderia ter incluído o inacreditável episódio do último sábado, quando Ibrahimovic, o craque do time, fez o primeiro gol dos 2 x 0 sobre a Lazio e saiu fazendo gesto para a própria torcida, que o vaiava pelas recentes declarações de que pretende deixar o clube, calar a boca. Só pra lembrar, estamos falando da atual e futura campeã italiana. Campeã em crise, pra mim, é demais…

* Aí tem o Milan, que, alguns podem argumentar, até que voltou a jogar bem, ganhou a segunda colocação da Juventus e, bem o mal, está fechando o Italiano de um jeito melhor do que se esperava depois da eliminação na Copa da Uefa. Mas… com a palavra, o volante Seedorf, depois dos 2 x 0 sobre o Catania no domingo: “A gente tem que tomar cuidado para estas vitórias não esconderem as coisas e mudarem o que o clube estava planejando e precisa fazer para a próxima temporada”. Tem toda razão (e me parece que o próprio vice-presidente Galliani já havia dito algo nessa linha). Porque o Milan pode não estar vivendo uma crise nestes últimos jogos, mas vive, ainda, uma temporada de crise. E mascarar suas deficiências com bons (e inúteis) resultados nessa reta final pode ser bem prejudicial para a próxima temporada.

* E, por fim, até a Fiorentina (ou vocês não lembram que também ela era apontada como candidata ao título?). Que me perdoem os florentinos, como minha querida família materna, mas a crise da Fiorentina, hoje, é técnica. Porque o time pode até ter batido o Torino por 1 x 0 no domingo, mas, como em suas últimas partidas, não jogou absolutamente nada. Talvez a equipe não tenha, neste Italiano, jogado tão mal como nos últimos jogos. A diferença da Fiorentina para a Juve, hoje, é que ela não joga nada, mas, ao contrário do time de Turim, vence. Para tristeza do Genoa, que tem feito mais para merecer a quarta vaga na Liga dos Campeões. E que é o primeiro time da tabela do Italiano a não estar, de um jeito ou de outro, em crise.

Autor: Tags: , , , , ,

terça-feira, 31 de março de 2009 copa do mundo, inter, jogadores, juventus | 17:45

Júlio x Buffon e a zica das Eliminatórias

Compartilhe: Twitter

Qualquer um que acompanhe bem futebol sabe que ainda é impossível comparar a carreira de Júlio Cesár com a de Buffon. Afinal, entre os goleiros em atividade, o italiano é provávelmente o melhor do mundo se considerarmos as carreiras completas, as conquistas e a qualidade técnica dos concorrentes.

Hoje, contudo, nem mesmo os italianos discutem que é Júlio César o melhor goleiro, se não do mundo, pelo menos do futebol italiano. É só dar uma olhadinha na enquete da Gazzetta dello Sport, que já recebeu maid de 24 mil votos e coloca o brasileiro com enorme vantagem sobre Buffon. Valia o registro:

Quanto à rodada das Eliminatórias desta quarta, se tomarmos por base os jogos do último fim de semana é bom os torcedores dos times italianos prepararem sua torcida não apenas pela Azzurra, mas também nas partidas das outras seleções que entram em campo pelo planeta. Porque a zica não está pequena…

A Inter perdeu Maicon, a Udinese ficou sem Di Natale, o Genoa não deve ter Milito tão cedo e o Napoli pode não contar com Lavezzi. Não são quaisquer desfalques, são alguns dos principais jogadores desses times. E aí fico imaginando como reagiram Carlo Ancelotti e Adriano Galliani ao saber que o departamente médico da CBF liberou Kaká para enfrentar o Peru… mas sai pra lá, zica!

Autor: Tags: , , ,

terça-feira, 10 de março de 2009 juventus, liga dos campeões | 19:21

Tá ruim, mas tá bom

Compartilhe: Twitter

Brinquei com um amigo que, contra o Chelsea, Buffon falhou mais do que em toda a carreira. Não quer dizer muito, foram apenas umas três falhas, não mais, incluindo a que originou determinante primeiro gol do Chelsea, no final do primeiro tempo, quando a Juve vencia por 1 x 0.

Mas a culpa pela eliminação não é de Buffon, longe disso. Não há, aliás, um culpado. Até porque a Juventus jogou bem, especialmente no segundo tempo, quando atuou (e atacou) um bom tempo com um jogador a menos depois da discutível expulsão de Chiellini. Não à toa, o time deixou o campo aplaudido por seus torcedores.

Se Nedved não vem sendo determinante nos últimos anos, acho que pode ter feito falta hoje, após deixar o jogo no início, machucado. Primeiro porque tinha obsessão em ganhar a Liga, e o fato de ter anunciado que encerrará a carreira em junho era certamente um estímulo a mais. Segundo porque, com a ausência de Camoranesi, a presença de um jogador como Nedved ganhava em importância.

Trezeguet, apesar da besta balançadinha de cabeça ao ser substituído, e Iaquinta, autor do primeiro gol juventino (após lindo passe de Trezeguet), mostraram que as escolhas iniciais de Ranieri não estavam erradas. A entrada de Giovinco mostra que a Juve tem futuro também na Liga. Não há, portanto, motivo para desespero, e a reação da torcida é prova disso.

O Chelsea avançou, e só um podia avançar. Aliás, arrisco dizer que, se Felipão ainda estivesse no comando do clube londrino (e aqui não vai nenhuma critica ao brasileiro), talvez a história tivesse sido diferente. Nem tanto por aspectos táticos, mas porque a chegada de Hiddink criou uma dessas mudanças de ambiente tão comuns e poderosas no futebol. Para azar da Juve, bem na sua vez.

Ah, Itália…
A situação do futebol italiano na Liga, porém, é mais preocupante que a da Juve. Com o adeus da equipe de Turim, a Inter enfrentando o time mais forte do mundo fora de casa, e a dizimada Roma precisando vencer o Arsenal por dois gols, é bem provável que amanhã, nesta mesma hora, a Udinese seja Itália nas copas européias (leia-se, na Uefa). Que fase…

Autor: Tags: , , , , ,

  1. Primeira
  2. 1
  3. 2
  4. Última