Publicidade

Posts com a Tag coluna do jornal placar

terça-feira, 17 de agosto de 2010 Sem categoria | 11:41

A escolha de Hernanes

Compartilhe: Twitter

Contratado pela Lazio por cerca de 13 milhões de euros, o meio-campista Hernanes, ex-São Paulo e hoje jogador da seleção brasileira, não escondeu: “Conheço pouco sobre o time, mas vou me informar. Perguntei ao André Dias [brasileiro da Lazio] e ele só me falou coisas boas: que a Lazio é organizada e que Roma é um cidade linda para se viver!”.

Roma, de fato, é linda e deliciosa para se viver. Já quanto à Lazio…  Hernanes talvez não saiba, mas chegará num clube conturbado, com um presidente duramente questionado. Encontrará um time que passou boa parte do último campeonato brigando para não cair e que pouco se reforçou, motivo pelo qual o quarto lugar que o brasileiro estipulou como meta em sua chegada parece utopia.

“Além da capacidade técnica, ele tem uma personalidade que entusiasmará a torcida”, disse Claudio Lotito, o questionado presidente, sobre seu novo reforço. Tem razão. Tanto que, hoje, o time da capital italiana parece ser um destino aquém da qualidade de Hernanes. 

“Eu posso fazer a diferença”, garantiu o jogador. Não só pode como terá, se quiser cumprir seu objetivo. Caso contrário, Hernanes conhecerá apenas o lado bom de viver em Roma. E talvez se arrependa de ter se informado pouco sobre o clube ao qual chega.

Autor: Tags: , , , ,

sexta-feira, 7 de maio de 2010 copa da itália, inter, jogadores, roma | 11:24

Maus perdedores

Compartilhe: Twitter

Primeiro, o vídeo:

O lance em que Francesco Totti aplicou um maldoso chute por trás em Mario Balotelli, a poucos minutos do fim da decisão da Copa da Itália contra a Internazionale, é mais um indício de que o time da Roma não sabe perder. Totti, capitão do time, e De Rossi, conhecido no clube como Capitan Futuro, são os melhores exemplos disso: são excepcionais, mas não suportam perder. E, pior, consideram os jogos perdidos antes mesmo de finalizados.

Foi assim no clássico contra a Lazio, quando ambos levaram cartões amarelos ainda no 1º tempo — a Roma perdia por 1 x 0. Nervosos, foram bem substituídos no intervalo, e a Roma virou o jogo. Na final contra a Inter, o time da capital ainda pressionava e restavam alguns minutos quando Totti agrediu Balotelli e foi expulso. A chance de empatar foi por água abaixo. O desequilíbrio dos líderes, não raro, contamina outros jogadores. Na final contra a Inter, foi o caso de Taddei, que saiu distribuindo bordoadas sem dó, inclusive no compatriota Thiago Mota.

Totti foi muito criticado e, diz a Gazzetta dello Sport, depois do episódio viu suas chances de jogar a Copa diminuírem muito. O capitão assumiu o erro, mas reclamou das críticas: afirmou que Balotelli é um “provocador sistemático”. É verdade. Mas um jogador de 33 anos, capitão da Roma e campeão do mundo, não deveria cair nas “provocações sistemáticas” de um adolescente. No time da Roma, a aversão por perder diminui a chance de vencer.

Autor: Tags: , , , , , , , ,

sexta-feira, 30 de abril de 2010 inter, liga dos campeões, técnicos | 10:37

Nas mãos de Mourinho

Compartilhe: Twitter

“Pensei que tinha chegado ao máximo da empatia possível com os torcedores do Chelsea. Mas minha empatia com os da Inter é ainda maior. Estou apaixonado pelo clube e por estes torcedores, mas não pelo futebol italiano: este eu respeito, mas não amo”. Assim José Mourinho comentou aquilo que classificou como a “melhor derrota da sua vida”: Barcelona 1 x 0 Internazionale, resultado que levou a Inter, depois de 38 anos, a uma final de Liga dos Campeões da Europa.

Não é a primeira vez que Mourinho faz questão de dizer “não amar” o futebol italiano. A recíproca, porém, não tem sido verdadeira. Depois da classificação da Inter, os italianos, de novo, caíram de amores pelo português. Claudio Ranieri, seu desafeto e técnico da concorrente Roma no Campeonato Italiano, chamou de “espetacular” a classificação interista. Silvio Berlusconi, dono do Milan, brindou pelo feito do rival. Jornais do país não pouparam elogios ao português, acima de todos. Na Itália, Mourinho virou o símbolo de uma classificação heróica.

Agora, na final contra o Bayern de Munique, a Inter jogará por todo o futebol italiano. Não apenas simbolicamente: se vencer no tempo normal ou na prorrogação, manterá a Itália com 4 vagas na Liga dos Campeões da Europa de 2011-12. Se empatar ou perder da decisão, os italianos perderão uma vaga para o futebol alemão. Ironia do destino, o calcio está nas mãos de José Mourinho. O que hoje em dia, apesar da “falta de amor” do português, parece um ótimo negócio.

Autor: Tags: , , , , ,

sexta-feira, 19 de março de 2010 campeonato italiano, inter, liga dos campeões, milan | 10:56

2 times, 7 dias

Compartilhe: Twitter

Berlusconi: da lamentação à confiança, em 7 dias

Quarta-feira, 10 de março. Humilhado, o Milan perde por 4 x 0 do Manchester United e é eliminado da Liga dos Campeões. Torcedores protestam, de novo, contra a diretoria. Berlusconi, dono do clube, ironiza: “Além de chorar, eu coloco dinheiro”. Leonardo é criticado. O time perde o zagueiro Nesta, machucado. A depressão é total.
 
Sexta-feira, 12. A Inter perde por 3 x 1  para o Catania em mais uma atuação decepcionante no Campeonato Italiano. Jornais destacam a queda de rendimento da equipe e começam a especular sobre a saída de José Mourinho caso o time não vença a Liga dos Campeões.
 
Domingo, 14. Com um golaço de Seedorf nos acréscimos, o Milan vence o Chievo por 1 x 0 e fica a um ponto da líder Inter. A euforia no San Siro é total. E a perspectiva de título, graças também à tabela mais difícil da Inter, passa a ser real. “Eu acredito”, diz o outrora choroso Berlusconi.
 
Terça-feira, 16. Em Londres, a Inter dá um banho no Chelsea e avança às quartas da Liga. As críticas de sábado desaparecem e dão lugar a elogios e à promessa interista de “blindar” a permanência do técnico português por muitos anos.
 
Em uma semana, o humor de Inter e Milan e as análises sobre os dois times mudaram da água para o vinho. Em uma semana, sabemos, o vinho pode ficar aguado novamente. Por enquanto, a única certeza positiva para os times de Milão é que o título nacional ficará na cidade. O que, para a Inter, já não seria suficiente.

Autor: Tags: , , , , , , ,