Publicidade

Posts com a Tag di natale

segunda-feira, 14 de setembro de 2009 campeonato italiano, inter, juventus, milan, roma, vídeos | 11:14

A terceira rodada

Compartilhe: Twitter

As breves linhas por jogo, sem perda de tempo:

Lazio 0 x 2 Juventus
Jogo mais fraco do que se esperava e resultado achado pela Juve, com um gol do lateral-direito estreante Cáceres abrindo o placar. Grosso também estreou na outra lateral, a esquerda, e ambos mostraram que devem ser os titulares do time. Diego voltou a se machucar, ficará 15 dias fora e agora só nos resta torcer que isso não vire uma rotina — conhecemos os departamentos médicos dos clubes italianos… Contra o Bordeaux, pela Liga, Del Piero também não terá condições de atuar. Giovinco deve ser titular e, pelo que mostrou contra a Lazio (que, aliás, teve um gol mal anulado quando o jogo estava 0 x 0), pode ser bem útil.

Livorno 0 x 0 Milan
O goleiro Storari, do Milan, talvez tenha sido o melhor em campo na equipe de Leonardo — e isso quer dizer muito. O time melhorou quando Pirlo entrou no lugar de Ronaldinho Gaúcho, com a função de armar as jogadas (a exemplo do que fez bem na seleção italiana; leia coluna no post de baixo). Uma bola no travessão em cobrança de falta de Pirlo foi o que de mais perigoso aconteceu no jogo. De mais curioso, houve o nome escrito errado na camisa do melhor jogador do Livorno: Candreva, rebatizado de “Cadreva” em seu equivocado uniforme.

Inter 2 x 0 Parma
Eto’o fez como Ibrahimovic: quando a Inter tinha sérias dificuldades de chegar ao gol adversário, resolveu. Achou um golaço de fora da área para abrir o placar, que mais tarde seria amplicado com o argentino Milito, após ótimo cruzamento de Balotelli. Vale registrar a ‘dunganização’ de Maicon: depois de um período de convivência com o técnico da seleção, o lateral, no melhor estilo do chefe, irritou-se com um princípio de vaias para Milito — após passe errado do argentino — e não perdoou a torcida: virou-se em direção aos torcedores e, irritadíssimo, bradou em português bem claro: “Não vaia, não! Bate palma pro cara, c…! Vai tomar no c…!” A imagem, por sorte sem tradução, ganhou destaque nos programas de TV do domingo à noite. 

Eis o gol de Eto’o (além de seu nome, entendi a palavra ‘calcio’ na narração):

E aqui, o chilique de Maicon:

Siena 1 x 2 Roma
Apesar de sua incompreensível (e covarde) escalação logo na estréia, o técnico Claudio Ranieri conseguiu deixar Siena com uma injusta vitória de virada. O resultado (e o melhor jogo), porém, só veio depois que o treinador colocou em campo Vucinic, para fazer companhia a um até então isolado Totti no ataque, e Riise, para dar mais força ofensiva pela esquerda, onde inicialmente havia escalado o zagueiro Burdisso. De Rossi, que chorou e foi muito abraçado pelos colegas depois do apito final, mostrou bem como estão os nervos dos jogadores romanistas. Vale registro o golaço de Maccarone para o Siena, depois do baile sobre Mexès.

Atalanta 0 x 1 Sampdoria
Vão anotando. Cassano, de novo, criou praticamente todas as jogadas do time de Gênova. Incluindo o lance do gol, em que driblou dois adversários (um deles com um toque por baixo das pernas) e chamou a marcação de nada menos que cinco (!) adversários antes de tocar para Mannini marcar, no segundo tempo, quando a Samp já tinha um jogador a menos em campo — Tissone foi expulso. O empate, contudo, só não veio porque a trave, por duas vezes, ajudou a equipe genovesa.

Palermo 1 x 1 Bari
Após longo tempo longe do time, afastado por lesão, Budan voltou a marcar, nos acréscimos, garantindo o (mau) empate pros donos  da casa. Antes, Miccoli já tinha criado uma série de chances para a equipe de Zenga empatar, mas sem conseguir superar o goleiro belga Gillet.

Bologna 0 x 2 Chievo
No jogo que parecia ser uma espécie de “decisão antecipada contra o rebaixamento”, os visitantes levaram a melhor com justiça. Dominaram praticamente todo o jogo, com exceção dos minutos finais. Di Vaio, estrela do Bologna, jogou, mas ainda não está em forma. E outra opção de gols era Zalayeta….

Udinese 4 x 2 Catania
Di Natale, para mim o segundo melhor atacante italiano do momento, marcou 3 gols (um deles num pênalti inexistente) e chegou a 6 na liderança isolada da artilharia do Campeonato Italiano. O golaço do dia, contudo, foi justamente o outro da Udinese, marcado por Floro Flores.

Fiorentina 1 x 0 Cagliari
Não sei exatamente o que isso indica, mas a Fiorentina não poupou ninguém visando o jogo de quarta-feira, contra o Lyon, pela Liga dos Campeões. E foi justamente por não ter poupado seu principal jogador, Gilardino, que o time de Florença chegou à vitória em um estádio apenas parcialmente tomado (coisa rara na cidade): o atacante marcou o gol da vitória, após (outra) bela jogada de Vargas pela esquerda.  O presidente Della Valle, especula-se que temendo críticas da torcida florentina, não deu as caras no Artemio Franchi.

Genoa 4 x 1 Napoli
Apesar da arbitragem contestada, a  briga entre dois dos candidatos a vaga na Liga dos Campeões foi o melhor jogo da rodada — e o placar, é preciso dizer, foi exagerado pelo primeiro tempo que fez o Napoli. As novidades do time de Gênova para a temporada continuam mandando bem: depois de Moretti e Zapater, agora foi a vez de Palacio, ex-Boca Juniors, fazer boa partida ao lado de Crespo, que marcou seu primeiro gol pelo time. Kharja, outra novidade, entrou e também marcou o seu, de pênalti. Mas o golaço do dia foi de Mesto. Hoje, este Genoa pode ser apontado como um favorito para chegar à Liga de 2010-11.

Autor: Tags: , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,

segunda-feira, 30 de março de 2009 azzurra, copa do mundo | 12:35

Itália quase lá

Compartilhe: Twitter

Reuters
Pazzini marca na estreia: contra a Irlanda, dá para abrir mão da sua boa fase?

Confesso que não consegui assitir à vitória da Itália sobre Montenegro no último sábado. Motivo pelo qual é muito bem vindo qualquer comentário que vocês possam fazer sobre atuações específicas dos jogadores. Uma lesão (não tão grave quanto a do Di Natale) me impediu de ir ao iG hoje, então nem mesmo as notas que a Gazzetta deu aos atletas eu tenho.

Mas tenho, em compensação, a convicção de que a Itália está quase lá, também por causa do empate entre Irlanda e Bulgária no fim de semana. Se derrotar a Irlanda na próxima quarta-feira, em Bari, os italianos já podem comemorar a vaga para defender o título na Copa de 2010. Porque:

1) Como se vê na tabela da chave (o terceiro colocado tem 4 pontos enquanto a Itália tem 13), é a Irlanda (11 pontos) a única adversária dos italianos na briga pelo primeiro lugar.

2) Se vencer em Bari, a Itália abrirá cinco pontos de vantagem sobre os irlandeses, e mesmo que perca o jogo de volta, na Irlanda, manterá dois pontos de margem sobre os rivais.

3) Nessa hipótese, esses dois pontos de diferença os irlandeses precisariam recuperar em três rodadas nas quais a Itália jogará duas vezes em casa (Bulgária e Chipre) e uma fora (Georgia); justamente o contrário da Irlanda, que jogará duas fora (Bulgária e Chipre) e só uma em casa (Montenegro).

Resta agora saber como Marcelo Lippi escalará o time para o jogo desta quarta. Sem Di Natale, certamente, porque o melhor jogador da Udinese (aliás, diminuem as chances da Itália triunfar pelo menos na Uefa…) vai parar por cinco ou seis meses. É possível que Lippi simplesmente escale algum outro atacante atuando mais aberto (Rossi, Pepe…) na vaga de Di Natale.

Mas, depois da estreia com gol de Pazzini (que marcou mesmo sem Cassano ao lado, como observa um irônico leitor), eu não desperdiçaria a chance de “encontrar o novo Luca Toni”. Que, na verdade, se o assunto é seleção, pode vir a ser bem mais que o velho Luca Toni.  Assim, acho, Iaquinta é quem poderia jogar mais aberto, deixando espaço para Pazzini atuar como centroavante – coisa que ele é, de fato, ao contrário de Iaquinta.

Sim sim, eu sei, não vi o jogo contra Montenegro. Mas também sei que, em futebol, não dá para abrir mão de boas fases como a do atacante da Samp. Ou dá?

Autor: Tags: ,

quinta-feira, 25 de dezembro de 2008 azzurra, campeonato italiano, copa da uefa, copa do mundo, inter, jogadores, juventus, milan, roma, técnicos | 12:40

20 perguntas para responder em 2009

Compartilhe: Twitter

É isso, 2008 praticamente já se foi. E como para o futebol europeu o ano começa em julho e acaba em junho, nem dá pra gente fazer muitos balanços. Porque, se o final da temporada passada não foi legal para o calcio — italianos fora da final da Liga, violência, prisões etc —, o começo da temporada 2008-09 foi bem promissor — vários candidatos ao título, Ronaldinho, Mourinho, Beckham etc.

Melhor, agora, é olhar para frente. Porque não faltam boas perguntas a serem respondidas sobre o futebol italiano neste ano que está prestes a começar. Vou colocar aqui 20 delas (quem tiver mais que mande) e, como não sou de ficar em cima do muro, vou dar meus palpites pra cada uma. Quem encarar que faça o mesmo. 

1) Amauri jogará mesmo pela seleção italiana ou Dunga, na hora H, não vai permitir, convocando-o para  a seleção brasileira para enfrentar justamente a Itália, no dia 11 de fevereiro?
Pelo jeito, Dunga tremeu com a possibilidade de enfrentar Amauri e levar cacetadas e mais cacetadas se o atacante viesse a marcar pela Azzurra contra o Brasil. Agora, parece, a convocação será para a seleção Brasileira (aliás, Dunga, precisava o Júlio César te avisar sobre as qualidades do Amauri?!). Resta saber o quanto ele jogará. Tenho dúvidas sobre o que seria melhor para o atacante…
 
2) Adriano terá a enésima chance de voltar à Inter? Ou será que Mourinho e, principalmente, Moratti terão enfim chegado ao limite?
Meu bom senso não me permite acreditar que a Inter dará outra chance a ele. Aposto numa saída já em janeiro…

3) A Inter, hoje líder com seis pontos de vantagem no Italiano, continuará sobrando rumo ao tetracampeonato?
Sobrando, não. Essa diferença, acho, ainda será reduzida em algum momento – e acredito mais no Milan do que na Juve como segunda força. No final das contas, porém, o título irá mesmo para a Inter, sabe-se lá com qual vantagem.

4) E a postura de Mourinho? O português irá enfim parar de brigar com a imprensa italiana? Dependerá dos resultados para isso?
Mourinho incorporou um personagem e não parece disposto a mudar. Se perder, mal-humorado, terá mais motivos para criticar tudo e todos no futebol italiano. Se ganhar, seu moral vai para as nuvens. E aí, com o ego (ainda mais) inflado, alguém acha mesmo que ele vai parar?

5) Ibrahimovic, Kaká ou Del Piero: qual deles será escolhido o melhor jogador do Italiano?
A história diz que o melhor do campeonato pertencerá sempre ao campeão, e até por isso coloquei apenas os três como candidatos. Seguindo a mesma lógica, portanto, fico com Ibra. De novo.

6) Os garotos da Juventus, Marchisio, De Ceglie e Giovinco, seguirão em alta até o fim do campeonato?
Nessa “alta” atual sim: os três já mostraram que sabem jogar, embora nenhum deles tenha tido a regularidade necessária para ser mantido como titular indiscutível. O problema é que se a Juve seguir na Liga dos Campeões essa regularidade pode ser imprescindível.

7) Beckham será só um (eficiente) garoto-propaganda no Milan ou terá importância em campo? E, se tiver, tem chances de ficar?
Beckham será útil nesses poucos jogos que fará pelo dilacerado meio-campo milanista. Mas não o suficiente para que o Milan cogite uma loucura (financeiramente falando) a ponto de tirá-lo do Galaxy já. Sua passagem, no fim das contas, terá sido útil tanto do ponto de vista do marketing (mais) como do ponto de vista esportivo (menos). 

8) Como o Milan irá (se é que irá) resolver seus problemas defensivos sem Thiago Silva?
Sem a perspectiva da escalação do brasileiro e nem da volta de Nesta, a solução definitiva fica para 2009-10. O que não quer dizer que o Milan, com o meio-campo e ataque que tem, não possa dar trabalho no Italiano e, ainda mais fácil, conquistar a Uefa.

9) Como será o balanço final da primeira temporada de Pato e Ronaldinho no Milan?
Nem decepcionante, nem excpecional. Para ambos, algo entre uma nota 6,5 e 7. E ambos podem estourar em 2009-10.

10) A disputa entre Milan e Juventus para ver quem conta com mais ‘elenco’ no departamento médico continuará acirrada?
Não faço a menor idéia. Mas, sem Nesta e Gattuso, o Milan deve sentir mais as ausências. Até porque a Juve, entre os seus lesionados, tem o Zebina (maldade…).

11) E por falar em lesões, a de Totti durará quanto tempo? Era um mês, já virou dois. Quem dá mais?
Dois meses sem Totti já podem bastar para tirar a Roma da Liga dos Campeões. O fato, triste, é que Totti, o melhor jogador de futebol italiano hoje, não consegue mais passar dois meses seguidos jogando futebol.

12) Para compensar a tristeza romanista, Menez vai mesmo deslanchar, como ameaçou neste fim de ano? E Brighi continuará jogando tudo o que ninguém achou que jogasse?
Menez já mostrou ser bem mais que aquele jogador bizarro do começo de temporada. E a “ex-surpresa” Brighi, acho, até veio para ficar, dentro das suas limitações. Mas nada disso basta para compensar a possível ausência de Totti. Sem ele, a Roma não vai.

13) Napoli, Lazio e Genoa vão mesmo dar trabalho na briga por uma das quatro vagas na Liga?
Não. Se a Roma ficar mesmo fora dessa disputa, a Fiorentina já pode comemorar: a quarta vaga na Liga é sua. E, pra ousar ainda mais: o Napoli vai para a Uefa.

14) Quem será o artilheiro do Italiano: Ibrahimovic, Amauri ou nda?
Ibra.

15) Quem vai cair?
Sem surpresas: Chievo, Reggina e Lecce. Se um deles não cair, o Siena vai.

16) Cannavaro, Toni, Rossi, Grosso, Oddo, Dossena… Quem será (se é que haverá) o destaque italiano fora da Itália na temporada?
O tempo passa, o tempo voa, as críticas vêm e eu sigo sempre com Luca Toni.

17) Cassano chegará a ser convocado por Marcelo Lippi em 2009 para ter alguma esperança de ir à Copa de 2010?
Não é minha vontade. Mas Cassano está fora da Copa, desde já.

18) A boa dupla Gilardino e Mutu, da Fiorentina, continuará fazendo mais sucesso que a boa dupla Di Natale e Quagliarela, da Udinese?
Em seus clubes, sim. Se não brigarem por vaidade (afinal, quem é a estrela do time?), Gila e Mutu vão longe. Até porque, o que quer a Udinese? Mas é bom lembrar que a dupla Di Natale e Quagliarela, com Amauri descartado e Toni em baixa na Azzuurra, poderá mostrar serviço também na seleção.

19) Quem será o melhor e o pior brasileiro ao fim do Italiano 2008-09?
Os melhores, Kaká e Maicon. O pior, Adriano, mesmo saindo agora.

20) Onde vão parar, se é que vão parar, os italianos na Liga dos Campeões?
A Inter vai pagar a bobeada na primeira fase e cai já nas oitavas, contra o Manchester. A Roma, com Totti, passa do Arsenal. E a Juve, surpresa, elimina o Chelsea! Depois disso, sem saber o que o sorteio reserva, dar qualquer palpite já seria abusar da sorte, né?

E aí? Não quer deixar também as suas previsões?

Autor: Tags: , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,

sexta-feira, 31 de outubro de 2008 campeonato italiano, imprensa, jogadores | 11:36

Os 5 do barulho

Compartilhe: Twitter

Completamos dois meses de Campeonato Italiano. Destaques? Nem Ibrahimovic, nem Totti, nem Del Piero, nem Ronaldinho. Tem a ótima recuperação de Gilardino, o bom início de Amauri na Juve e a dupla sempre eficiente formada por Di Natale e Quagliarella na Udinese. Tem também a argentinada dos ‘ascendentes’ jogando muito: Zárate, Dênis, Lavezzi, Milito…

Mas, convenhamos, na Itália, notícia mesmo continuam sendo os figurões. Por isso, o “Data Bola na Bota” resolveu, pouco antes dessa 10ª rodada e baseado no método nada científico do ‘impressionismo’, destacar os personagens que mais têm feito barulho na imprensa esportiva italiana desse começo de temporada. A eles, pela ordem:

1. José Mourinho
Ninguém ganhou mais páginas que ele. Mas Massimo Moratti provavelmente preferia que ele tivesse ganho mais pontos. Com frases polêmicas e diretas, atitudes contundentes, um salário astronômico e um timaço nas mãos, o português é certamente o campeão de audiência. Desperta amor e ódio e, consequência disso, suas vitórias e derrotas repercutem o triplo das vitórias e derrotas dos rivais.

2. Ronaldinho Gaúcho
Ele está muito bem no Milan? Não. Então está mal? Também não. Ronaldinho faz um início de torneio regular, eu diria nota 6,5. Mas, assim como Mourinho, Ronaldinho é uma novidade ‘galáctica’ no futebol italiano. E fazer do brasileiro um “capítulo à parte” nas coberturas dos jogos do Milan virou quase obrigação para jornais, tevês e rádios italianas. Resta saber como a novela vai acabar.

3. Beckham
A capacidade do inglês virar notícia é mesmo notável. O cara nem chegou, tem 33 anos, joga atualmente num campeonato meia-boca, deve ficar não mais do que três meses no Milan e mesmo assim, dia após dia, é destaque na imprensa italiana. Isso é só um registro, não uma crítica. Até porque eu já disse que o inglês até pode ser útil ao Milan. Esportivamente, digo. Porque para divulgação de marca ninguém tem dúvida.

4. Totti
Desfalque, dores e mais dores no joelho, placa no tornozelo, hérnia, busca do melhor preparo físico e até separação da mulher. Ele foi notícia sempre, como é em todos os anos, mas até aqui foram palavras como essas que a gente encontrou na imprensa da Bota quando o capitão da Roma foi assunto nesta temporada. No domingo, contra a Juventus, será assim de novo. Ele não joga. Uma pena pro campeonato.

5. Adriano
A repercussão do seu desempenho dividiu-se em duas fases: uma, até mais ou menos o começo desta semana, quando ouvíamos falar de suas boas atuações, de sua recuperação e da até então boa relação que o brasileiro tinha com Mourinho. Outra, de lá pra cá, sobre baladas, atrasos, indisciplina e suspensão. E, como sempre em sua carreira, foi essa segunda parte que fez mais barulho. Outra pena pro campeonato.

E aí? quem mais poderia entra nessa lista?

Autor: Tags: , , , , , , , , , , , , ,

domingo, 7 de setembro de 2008 azzurra, copa do mundo, vídeos | 22:22

O começo da Copa, tão longe do fim

Compartilhe: Twitter

É claro que tem algo errado, e muito, quando uma seleção consegue fazer com que seu goleiro receba nota 9 depois de um jogo contra o Chipre. Foi o que aconteceu com a Itália, que teve Buffon eleito como melhor em campo na vitória por 2 x 1 sobre o Chipre, segundo a Gazzetta dello Sport.

Antes de continuar, as notas da Gazzetta foram estas:

Buffon 9
Zambortta 4,5
Gamberini s/n (Barzagli 5)
Cannavaro 5,5
Grosso s/n (Cassetti 4,5)
Camoranesi 6,5
Pirlo 5
De Rossi 6,5
Di Natale 7,5
Toni 4,5 (Gattuso 6)
Gilardino 6,5

A explicação para os 7,5 de Di Natale são os dois gols abaixo (e um outro que não está aí, também bonitinho, mas feito em impedimento)

Apesar dos belos gols, a repercussão da vitória na Itália foi muito ruim, claro. Porque nem o mais pessimista dos italianos esperava sofrer tanto para ganhar do pobre Chipre. E também porque a cultura da corneta na Itália é forte como aqui.

Mas não acho que seja o caso de exagerar nas cornetadas. Nem só porque os jogadores estão em início de temporada e esse é o primeiro jogo para valer da (nem tão) nova Itália de Lippi.

Que meu caro Alberto Helena não me ouça, mas a verdade é que, nesse formato de Eliminatórias, disputadas a dois anos do início da Copa, pouco vale a exibição, pouco valem as boas condições físicas e técnicas, pouco vale ver alguém comendo a bola. Porque nada disso é garantia de que, daqui a dois anos, quando for pra valer, tudo estará bem encaminhado. Às vezes, é até o contrário.

Nesse formato de Eliminatórias, o que vale mesmo é ganhar para não colocar a vaga em risco. Só.

E se já é normal que em dois anos as seleções mudem bastante, em uma seleção com média de idade alta como a italiana — e, acho eu, com boas revelações chegando por aí —, essa probabilidade é ainda maior.

Por falar em revelações, o último post mostrou-se premonitório (ó!). Hoje, entre as muitas matérias do pós-quase-vexame no Chipre, várias falam de Balotelli. Uma delas, da Gazzetta, tem o título “Todos apostam em Balotelli (menos um)”.

E a linha fina explica quem é o ‘menos um’: “Lippi freia: ‘Ele ainda não está pronto para a seleção‘”. Pode ser que Lippi tenha razão. Mas, como eu dizia, daqui a dois anos…

Autor: Tags: , , ,

sexta-feira, 30 de maio de 2008 azzurra, Sem categoria | 18:34

itália 3 x 1. e outro titular definido

Compartilhe: Twitter


A Gazzetta celebra vitória da Azzurra… e “magias” de Di Natale

Outro dia disse aqui que a alegria não costuma ser bom presságio para a seleção italiana. Seleção que, aparentemente, não está preocupada com isso, a ponto de vencer por mais de um gol de diferença (!!!) o seu útlimo amistoso antes da estréia contra a Holanda na Euro.

Di Natale fez dois belos gols e, como já era de se esperar, é o jogador mais festejado pela imprensa italiana. O atacante da Unidese (em breve, provavelmente, da Roma) já vinha jogando bem demais no Italiano, confirmou sua boa fase e assim certamente assegurou uma vaga de titular no time de Donadoni — que, do meio pra frente, já tem também Toni garantido.

Camoranesi, Del Piero (bela jogada no gol de Camoranesi) e Cassano (aplaudido) seguem atrás de uma vaguinha por ali, tendo o primeiro amplo favoritismo. Boriello, não só pelo absurdo gol perdido contra os belgas, é certamente reserva. Assim como deve ser Quagliarella.

Quase não vi o primeiro tempo, vi o segundo tempo picado, mas estive em frente à TV nos pouco menos de 15 minutos em que Cassano, Del Piero e Toni estiveram juntos em campo. É o “trio dos sonhos” de muito italiano, aliás. Mas não de Donadoni. Até porque, com certa razão, em Di Natale ele não mexe mais!

A escalação da Itália nos 3 x 1 contra a Bélgica:
Buffon; Panucci (1/2º Grosso), Cannavaro (1/2º Chiellini), Barzagli, Zambrotta; Gattuso, Pirlo, Aquilani (30/2º Ambrosini); Camoranesi (16/2º Cassano), Toni (30/2º Borriello), Di Natale (1/2º Del Piero). (Não saíram do Banco: Amelia, De Sanctis, Materazzi, De Rossi, Perrotta, Quagliarella)

Autor: Tags: ,