Publicidade

Posts com a Tag estréia

terça-feira, 28 de julho de 2009 juventus | 16:23

Sem TVs

Compartilhe: Twitter

Adoraria comentar a estreia de Diego pela Juventus (agora o jogo está 1 x 0, gol de Iaquinta ele acaba de fazer o segundo gol do time). Mas não vai rolar, porque não consigo ver nada. Assim como não consegui ver nenhum dos amistosos recentes aqui na redação.

É tanta complicação pra conseguir a volta no sinal das TVs que começo a acreditar em um problema divino, sei lá. Não devia ter feito o post da sra. Kaká

Depois, quem sabe, falo aqui da repercussão dos amistosos de italianos pelo mundo. Peço desculpas, mas é o máximo que posso fazer. Até lá, quem quiser me contar o que achou dos jogos de Milan, Inter, Juve etc, fique à vontade.

Saco.

Atualização: Se a TV não funciona, o YouTube nunca nos trai. Eis o golaço de Diego. Que começo!

PS: Esqueci de avisar aqui. Depois dos blogs dedicados ao futebol inglês, futebol espanhol, futebol alemão e futebol francês (os links estão na barrinha à direita), temos um novo irmão: o Bola à Vista, blog de futebol português, tocado pelo timoneiro Bruno Soraggi.

PS: Outro aviso tardio, acho que não tinha colocado aqui, mas me rendi ao Twitter, fazer o que?: http://twitter.com/gianoddi

Autor: Tags: , , ,

segunda-feira, 14 de janeiro de 2008 campeonato italiano, imprensa, Sem categoria | 11:26

A ESTRÉIA SEGUNDO os italianos

Compartilhe: Twitter

Repdrozudo abaixo as notas da Gazzetta dello Sport e do Corriere della Sera, os dois jornais mais lidos da Itália, para o jogo que marcou a estréia de Pato pelo Milan. Traduzi os comentários das duas publicações para as atuações de Pato e Ronaldo — eleito pelos dois jornais o melhor em campo.

As manchetes? “Pato, estréia com gol e lágrimas”; “O Milan brasileiro faz gol e dá espetáculo. Pato marca”; “San Siro já enlouqueceu pelo garoto-legenda”; “Ka-Pa-Rooooo. O Milan dá espetáculo com os brasileiros”; “Fortes emoções brasileiras. E San Siro se levanta”.

>> AS NOTAS (E COMENTÁRIOS) DA GAZZETTA

Dida – 6
Bonera – 6,5
Nesta – 6,5
Kaladze – 6
Maldini – 6,5 (Favalli – 6)
Ambrosini – 6,5
Pirlo – 6,5 (Gourcuff – s/n)
Seedorf – 7,5
Kaká – 7

Pato – 7,5
“Em sua estréia, faz brilhar os olhoso dos torcedores. Marca gol, dribla, chuta. Perde dois gols, é verdade, mas são banalidades diantes de um pequeno campeão que está nascendo e que entrará na história. Tem apenas 18 anos, o tempo está do seu lado”

Ronaldo – 8 (o melhor)
“Dois gols e duas assistências (para Pato). Ele voltou a jogar e o Milan voltou a ganhar em San Siro. Não por acaso. Dizem que ele joga parado, que se mexe pouco: mas a verdade é que, para ele, basta receber duas bolas para transformá-las em ouro” (Emerson – s/n)

>> AS NOTAS (E COMENTÁRIOS) DO CORRIERE

Dida – 6
Bonera – 6
Nesta – 6,5
Kaladze – 6
Maldini – 5 (Favalli – 6,5)
Ambrosini – 6
Pirlo – 5,5
Seedorf – 6,5
Kaká – 6,5

Pato – 7
“Os companheiros de Milan e a defesa do Napoli fazem de tudo para fazê-lo marcar, mas Lezzo (goleiro do Napoli) não deve ter simpatizado com ele: três de suas conclusões são defendidas. Depois chega também a sua hora e um belo gol histórico. Pato está presente. E ainda faz Gargano ser expulso por soma de cartões amarelos”

Ronaldo – 7 (o melhor)
“Joga para consagrar Pato ou para ser consagrado? Tema chance de marcar seu primeiro gol na temporadada, mas desperdiça com um chute fraco. Não se abala e não perde a segunda chance, ainda que por pouco. Depois consegue uma ‘doppietta’ antecipando Domizzi com a cabeça. Veja o Napoli e ressurja.”

Autor: Tags: , ,

domingo, 13 de janeiro de 2008 campeonato italiano, milan, Sem categoria | 20:06

ronaldo, o melhor; pato, a estrela

Compartilhe: Twitter


Ronaldo acabou com o jogo. Mas a Itália só pensa naquilo: Pato!

Dizer que Ronaldo foi a estrela da vitória do Milan, por 5 x 2 sobre o Napoli (a primeira em casa neste campeonato!), seria o caminho normal de qualquer um que quissesse comentar a estréia de Pato no Italiano. Pelo menos até o meio do segundo tempo, quando Ronaldo deixou de ser o astro para ser “apenas” o melhor em campo.

Foi quando Pato, que havia feito um primeiro tempo razoável e vinha tímido e visivelmente tenso na segunda etapa, levou um (enésimo) escorregão. Na hora, a torcida, que lotara o San Siro principalmente para vê-lo, não teve dúvidas: “Olê, olê, olê, olê, Patooo, Patooo”, gritou, num nível de decibéis que até ali não tínhamos escutado.

Minutos depois, o zelo dos torcedores — que evidentemente quiseram com os gritos tirar do jogador o peso criado pela histérica “Patomania” que tomou conta da Itália — se justificou com o belo gol de Pato. Desnecessário descrevê-lo, porque já estaremos enjoados de vê-lo logo logo.

O alívio do garoto, que, me pareceu, chorou, as inúmeras faixas feitas para ele e a empolgação da torcida, mas principalmente a maneira como todo o time foi comemorar o primeiro gol milanista de Pato foi emocionante.

Como foi também, aliás, a forma de Carlo Ancelotti cumprimentar Ronaldo na saída de campo — chegou a beijá-lo. Aliás, justiça seja feita a esse técnico tão criticado: quando tem Ronaldo e Pato, escala os dois atacantes que todos pedem. Por que não o fazia com Inzaghi e Gilardino? Não parece tão difícil entender.

Autor: Tags: , ,

sábado, 12 de janeiro de 2008 milan | 16:11

EFEITO KAKÁ?

Compartilhe: Twitter

Neste sábado, Ancelotti confirmou que Pato começa jogando a partida de amanhã à tarde, contra o Napoli. Mas é absolutamente impressionante a expectativa dos italianos em relação à estréia do garoto.

Pato foi capa da revista Sportweek dessa semana com o título: “Pato, tocca a te!” (algo como “É com você, Pato!”). “O jogador mais esperado de 2008 está pronto para debutar no campeonato italiano. O Milan espera que ele entre na galeria dos grandes brasileiros, e até Gianni Rivera tem um conselho para lhe dar” é a chamada da capa.

Ancelotti chegou a dizer que ele será melhor que Ronaldinho Gáucho. Berlusconi disse agora que “com Pato, voltamos à tradição do grande passado de atacantes como Van Basten e Gullit”. Os ingressos para o jogo, mesmo com o Milan mal das pernas, tiveram uma procura enorme.

Exagero? Não sei. As próximas semanas devem começar a responder.

Mas é curioso lembrar a não-expecativa que cercou a estréia de Kaká pelo Milan em 2003. Não sei se essa ansiedade toda em torno de Pato não tem justamente a ver com a surpresa que foi, para os europeus, o futebol que Kaká apresentou logo que chegou por lá.

Será que a partir de agora, por causa de Kaká, toda vez que o Milan contratar um promessa brasileira (porque, por enquanto, é o que Pato é), será assim? É um erro que seja.


Galliani e Pato, na chegada do jogador a Milão, há quase seis
meses. E aí? A badalação vai continuar dentro de campo?

Curiosidade: mal acabei de escrever o texto acima, recebi o telefonema de um jornalista da Gazzetta perguntando como a imprensa brasileira estava tratando a estréia de Pato. Respondi que com muita atenção — mas nem um terço da deles! E aproveitei pra vender essa minha tese furada… ; )

Autor: Tags: ,