Publicidade

Posts com a Tag gattuso

sexta-feira, 27 de novembro de 2009 azzurra, milan | 04:32

Pazzini x Amauri

Compartilhe: Twitter

pazzoamauri

 
Na semana passada, o atacante da Sampdoria e da seleção italiana Giampaolo Pazzini não teve dúvidas ao criticar a possível convocação do brasileiro Amauri, da Juventus, para defender a Azzurra: “A situação me deixa incomodado. Posso entender quando alguém é meio brasileiro e meio italiano, mas não quando não tem nada de italiano”. A resposta não tardou: “Escolhi jogar pela Itália há um ano. Sempre respeitei a opinião de todos, inclusive as de Pazzini, e peço que respeitem a minha”.

Talvez Pazzini tenha razão. Talvez as convocações de atletas cuja opção de defender uma nova pátria esteja atrelada à recusa de sua seleção ‘de nascimento’ sejam discutíveis. Talvez. Ainda assim, as declarações do atacante italiano soam mal, muito mal. Pazzini, como concorrente direto de Amauri por um posto na Copa do Mundo, deveria ficar calado. A discussão, se é que deve existir, não deveria contar com sua participação. Pazzini tem 25 anos e Amauri, 29. Pazzini é cidadão italiano, coisa que Amauri só deve conseguir ser por volta de março. Pazzini, me parece, tem até mais futebol. E já tem tido a chance de mostrá-lo na seleção, ao contrário do atacante da Juventus. Pazzini, portanto, não deveria tentar ganhar a vaga no grito. Mas no campo.

Cassano x Lippi
Semanas atrás, Cassano afirmou que, quanto mais se falava dele, mais ele via como improvável sua convocação à seleção italiana. A edição desta sexta-feira da revista L’Espresso publica entrevista com o técnico da Azzurra, Marcelo Lippi, que praticamente comprova a tese: “Fico triste por Cassano, porque se trata de um bom garoto. Mas criou-se uma situação inacreditável”.

Gattuso x Leonardo
“Não quero esperar que alguém jogue mal ou se machuque para ser utilizado”. A frase, dita ontem pelo volante Gattuso, do Milan, mostra que Leonardo está enfrentando algumas dificuldades para gerenciar o renomado (mas envelhecido) elenco do clube. Coisa que Carlo Ancelotti, justiça seja feita, sempre fez com maestria. No seu tempo, reclamações do tipo eram raríssimas.

* Texto publicado nesta sexta-feira, 27/11, no Jornal Placar.


PS
: Peço perdão aos fiéis leitores deste blog pelas raras atualizações nas últimas semanas. Mudanças e novas atribuições profissionais me impedem de estar mais presente. Mas quem sabe aos poucos, como Ronaldinho Gaúcho, a gente não vai recuperando o velho desempenho?

PS2: Neste fim de semana comento Udinese x Livorno, a partir das 14h55 de sábado, com narração de Luiz Carlos Largo, e Internazionale x Fiorentina, a partir das 11h30 de domingo (com Abre o Jogo), narraçao de João Palomino. Ambos na ESPN Internacional.

Autor: Tags: , , , , ,

sexta-feira, 9 de janeiro de 2009 campeonato italiano, fora dos campos, fotos | 17:15

Futebol? Voltemos aos poucos…

Compartilhe: Twitter


Esse elas acham sexy…


… mas preferem esse como amante

Não postei ontem para não cair na tentação de repercutir a relevantíssima pesquisa feita pela revista Novella 2000, segundo a qual Gattuso é o jogador de futebol que as mulheres italianas mais gostariam de ter como amante (Amauri foi segundão, vejam só).  Mas falta notícia de futebol nessa época… Então…

O engraçado é que, diante do mesmo eleitorado, Luca Toni foi escolhido o mais sexy entre a categoria. Aí eu pergunto para alguma moça que porventura se aventure por aqui: partindo do pressuposto que a função primordial de um amante é justamente o sexo, o que leva as italianas a escolherem um cara como mais sexy e outro como um amante dos bãos? Hã?

Se ninguém me responder, tudo bem. Eu compreendo. E também não vou perder o sono.

********

E pra não ficar só colocando foto de “homem sexy”, vamos dar uma canja também para a sra. Beckham. Pra quem ainda não sabe, ela ficou putinha porque o Milan não estendeu-lhe um tapete vermelho e tampouco reservou-lhe um camarote na estreia (argh, estréia sem acento dói; aliás, dói continua com acento?) do marido, na última terça.

O Milan não sabe o risco que corre. É capaz de a moça se enfezar e obrigar o banana do David a voltar i-me-dia-ta-men-te pra Los Angeles. Ela já conseguiu tirar o cara do futebol sério pra sustentar sua carreira de ex-spice-girl e criadora de tendências nos cortes de cabelos femininos do planeta (uma amiga minha jura que isso é um mérito) nos EUA.

Agora, se o Milan não se comportar direitinho, David correrá o risco de não poder mais jogar no clube italiano. E consequentemente ficar fora da seleção inglesa e da Copa de 2010, como Fabio Capello já antecipou.

Isso deveria ser uma piada, mas não é.

********

Agora chega de palhaçada, né? Vamos a um pouco de futebol, com as prováveis escalações de Roma x Milan, o grande jogo da primeira rodada de 2009 do Campeonato Italiano. Segundo a Gazzetta dello Sport, as equipes devem jogar assim, ambas no esquema 4-3-2-1, no estádio Olímpico da capital italiana, domingo, às 17h30 (horário de Brasília, com transmissão da ESPN):

ROMA
Doni, Cassetti, Mexes, Juan e Riise; Perrotta, De Rossi e Brighi; Pizarro e Aquilani; Vucinic.

MILAN
Abbiati, Zambrotta, Maldini, Kaladze e Jankulovski; Flamini, Pirlo e Ambrosini; Ronaldinho e Kaká; Pato.

Para saber mais sobre o clássico entre Roma e Milan e conhecer quais os outros jogos da 18ª rodada do Italiano, clique aqui.

Autor: Tags: , , , , ,

quinta-feira, 23 de outubro de 2008 copa da uefa, milan | 17:44

O Gattuso estragou minha tarde de quinta

Compartilhe: Twitter


Gattuso contra o Heerenveen: ele até fez gol, mas… (AP)

No fim das contas, os milanistas que me desculpem, mas é legal esse negócio de o Milan jogar a Copa da Uefa. Imagine, por exemplo, um dia como hoje, depois de Juve x Real na terça e Chelsea x Roma na quarta, a gente assistindo um Aston Villa x Ajax…

Não. Pelo menos tem o Milan, com Kaká, Ronaldinho, Pato… e, claro, o Inzaghi marcando os seus golzinhos com toda aquela abençoada grossura oportunista que Deus lhe deu. Eu estava convencido disso, quando comecei a ver o que seriam os 3 x 1 sobre o Heerenveen.

Mas aí o Gattuso vai lá, faz um gol e… quase não comemora! Pô. O Gattuso fazer gol e não comemorar é o que de mais broxante pode existir pra um torcedor que perde seu tempo disposto a ver um jogo de futebol.

Eu sei que essa fase nada vale para o Milan, que a dificuldade de passar adiante é zero, mas o Gattuso, por ser Gattuso, não tem direito de não comemorar. Será que ele quer derrubar minha tese de que é legal ver o Milan às quintas?

Perdi o tesão. Na próxima rodada, prefiro ver um Copenhagen x Saint-Etienne.

Autor: Tags:

terça-feira, 21 de outubro de 2008 imprensa, jogadores | 12:18

Os mais populares

Compartilhe: Twitter

Os critérios para formar essas listas são sempre meio aleatórios. Aliás, mais que isso, são políticos. Por isso, não surpreende que jogadores como Hosni Abdrabboh, Faisal Agab, Baichung Bhutia e Mohamed Amine Chermiti estejam entre os 100 mais populares do mundo para a IFFHS.

A relação, que contém seis brasileiros, como Marcos e Rogério Ceni (os único que atuam por aqui), exibe 10 jogadores que jogam no calcio, mas apenas cinco deles italianos.

Vai parecer estranha, por exemplo, a presença de Quaresma nessa lista. Mas é bom lembrar que a popularidade que pretende-se medir é mundial, e não italiana. Os dez são:

* Gianluigi Buffon (Juventus)
* Alessandro Del Piero Italia (Juventus)
* Gennaro Gattuso (Milan)
* Zlatan Ibrahimovic (Internazionale)
* Kaká (Milan)
* Andrea Pirlo (Milan)
* Adrian Mutu (Fiorentina)
* Ricardo Quaresma (Internazionale)
* Ronaldinho (Milan)
* Francesco Totti (Roma)

Qual deles é o mais popular? Se fosse poara considerar só a Itália, meus votos iriam, pela ordem, para Totti, Del Piero e Kaká ou Gattuso. Mas, se levarmos em consideração a popularidade mundial, entre este 10 candidatos ‘italianos’, mudaria minha ordem para Ronaldinho, Kaká e Totti ou Buffon.

Alguém ficaria com uma outra ordem? E faltou algum jogador do calcio na lista?

Autor: Tags: , , , , , , , , , , , ,

segunda-feira, 29 de setembro de 2008 campeonato italiano, inter, milan, técnicos, vídeos | 13:02

Rescaldo do derby de Milão

Compartilhe: Twitter

Hoje não vou falar da rodada completa do Italiano, só do derby Milan 1 x 0 Inter, que, afinal, foi provavelmente o confronto entre os dois principais candidatos ao título (os torcedores da Juve que me perdoem). Então vamos lá, algumas notas a respeito do clássico de Milão:

* Eu poderia falar aqui sobre a importância do gol de Ronaldinho num jogo como esse. Mas não é preciso: alguém se lembra de ver o Gaúcho comemorando um gol com tamanha euforia, quase alucinado, como a gente vê no vídeo abaixo? Eu, por mais que me esforce, lembro-me no máximo daquele bom e velho “hang-loose” com um sorrisão no rosto. Não mais.

* Em contrapartida, se eu fosse milanista, ficaria profundamente irritado com a reação do Pato na hora em que Ronaldinho marca. Se o garoto acha que já está na fase de só ficar feliz quando é o autor do gol (na verdade, não aguento isso nem em veteranos), poderia pelo menos disfarçar.

* Ronaldinho foi badaladíssimo, claro. Kaká, de novo, jogou muito e continuará sendo o craque da equipe na temporada. Mas o jogador eleito pela imprensa italiana como o melhor da partida foi o holandês Seedorf, atuando em “nova posição”, a posição do machucado Pirlo.

* Eu queria muito colocar aqui o vídeo do Gattuso discutindo (uma discussão do bem, sem dúvida) com o Ancelotti no meio do jogo. Mas não achei o vídeo no Youtube. Se alguém achar, por favor, coloque o link aqui embaixo. Agradeço ao Gilson, que enviou para cá o link.

* Após a derrota, Mourinho deu uma entrevista ao vivo para o Domenica Sportiva, da RAI. Não se abalou com a presença do presidente da Lazio, Claudio Lotito, e soltou, sem a média e hipocrisia com a qual estamos acostumados a ouvir em entrevistas no Brasil (e na Itália também):

“Parabéns aos times que estão na frente, mas sinceramente eu não os vejo com potencial de ganhar o scudetto. Tenho que me preocupar com Milan, Juve, Roma e, talvez, a Fiorentina. E fico feliz de estar à frente deles”.

O presidente da Lazio enfezou-se, começou um discurso (um pouco chato) sobre o poder do dinheiro no futebol, falou que “investimento não é tudo”, ao que Mourinho respondeu: “Se a Lazio for campeã, serei o primeiro a cumprimentar o presidente. Mas acho difícil”.

Pouco antes, Fulvio Collovati, ex-jogador da Juve, fez a Mourinho uma pergunta sobre as condições físicas do time da Inter acrescentando aquelas frases do tipo “a torcida da Inter ficou decepcionada…”. Mourinho também não perdoou: “Primeiro, queria parabenizá-lo por em tão pouco tempo ter conseguido ouvir a torcida da Inter. Porque eu, o que vi, foi nossa torcida nos aplaudindo no fim do jogo”. E seguiu-se outra discussão ríspida.

Mas Mourinho, não me entendam mal, está longe de ser um Emerson Leão. Ele é educado, mas, no meu ponto de vista, retruca quando tem que retrucar.

* A única coisa com a qual não concordo é a choradeira da Inter por causa da arbitragem. Porque:

1) Se Kaká estava impedido na hora do gol, foi por milímetros, e a orientação da Fifa é “na dúvida pró-ataque”;
2) Se o choro é por causa da “cotovelada” e suposto pênalti de Flamini em Adriano, é bom lembrar que Materazzi acertou uma igualzinha sobre Kaká no primeiro tempo. Seriam, portanto, dois pênaltis, um pra cada lado (e o do Milan, antes)
3) Contestar a expulsão de Burdisso, depois daquela falta bizonha sobre Kaká, parece piada. Pode-se, no máximo, contestar o primeiro amarelo. Mas seria muito choro para pouca coisa.
4) E, por fim, é demais Materazzi conseguir ser expulso, no banco de reservas, por reclamar de um lance faltoso que ele também havia cometido, igualzinho, no primeiro tempo. Reclamar dessa expulsão, também não dá.

* A Inter pode até dizer que jogou o suficiente para empatar, mesmo com um a menos. Isso é aceitável. Mas culpar o árbitro, como fez Ibrahimovic, jamais.

Autor: Tags: , , , , , ,

terça-feira, 16 de setembro de 2008 azzurra, copa do mundo, imprensa | 15:38

Itália x França, capítulo ene

Compartilhe: Twitter


Afinal, fazia algum tempo que essa foto não aparecia por aqui…

A rivalidade entre França e Itália, na Europa, começa a ficar (se já não ficou) bem parecida com a que existe por aqui entre brasileiros e argentinos. Vamos recapitular:

Tudo começou com a vitória da França sobre a Itália na prorrogação por por morte súbita, na final da Eurocopa de 2000. Era só o começo…

Seis anos depois, a Itália teria a chance de revanche (no fim, confirmada) na final da Copa do Mundo de 2006, quando Zidane e Materazzi protagonizaram um capítulo à parte, com aquela cabeçada da qual a gente não aguenta mais ouvir falar.

Aí, já com a Itália por cima, quis o destino que as duas seleções se encontrassem de novo nas Eliminatórias para a Eurocopa de 2008: os italianos acabariam como líderes da chave, mesmo perdendo um jogo e empatando o outro contra os franceses, ao fim vice-líderes.

Veio então a Euro, pra valer. De novo, já na primeira fase, o sorteio das chaves providenciou um confronto entre Itália e França. Deu Itália, 2 x 0, e os franceses assim acabaram eliminados do torneio logo de cara — a segunda vaga da chave ficou com a Romênia.

Durante todo esse tempo, além do capítulo Zidane x Materazzi, vários outros nomes protagonizaram um festival de troca de farpas via imprensa. Raymond Domenech, o técnico da França, e Genaro Gattuso, cão de guarda da Azzurra, principalmente — ambos se odeiam e nunca fizeram questão de esconder isso.

A imprensa francesa e italiana, paralelamente, também davam suas espetadas uma na outra o tempo todo, meio na linha do que o argentino Olé costuma fazer com o Brasil (sem resposta, diga-se) . E nesta terça, enfim, um novo capítulo.

Porque, na França, um jornalista francês chamado Pierre Ménès escreveu o que ele mesmo chama de “dicionário absurdo do futebol”, um livro (foto ao lado), segundo o próprio autor, de “humor sarcástico”. No qual definiu com frases como estas abaixo a palavra “italianos”:

1) Tribo do sul capaz de fazer o melhor jogador do mundo perder a cabeça. Novo inimigo íntimo desde os tempos da retirada dos alemães e da explosão do fenômeno Materazzi.

2) O italiano tem muitas particularidades: coloca gel nos cabelos longos, se penteia, levanta a gola da camisa, enagana e dá cotoveladas. Mas o que irrita mais é que ele ganha.

Além das definições, Ménès elencou alguns sinônimos para “italianos”: “Ritals” (que seria, segundo a Gazzetta, um termo depreciativo para imigrantes italianos), “Macaronis”, “Provocadores”, “Gattuso” (seria uma ofensa?) e “Campeões do Mundo” (esse certamente não é).

Mas, apesar da aliviada, não teve jeito. Ménès irritou os jornalistas da Gazzetta dello Sport, que colocaram, na manchete do site, uma resposta ao sarcástico provocador (seria Menès italiano?). “É absurdo, no limite do ofensivo”, disse a publicação italiana, referindo-se ao título do livro.

E a Gazzetta aproveita ainda o gancho da frase “o que mais irrita é que ganha” para dizer o seguinte: “Quem sabe alguma coisa sobre isso é Raymond Domenech, técnico da França, humilhado repetidamente pela Azzurra. E talvez até Zidane. Ou seja ‘o jogador preferido dos franceses, capaz de caminhar sobre a água e de acertar com a cabeça os mal educados (outra definição do livro)’. Mas não quem escreve dicionários “absurdos” de futebol.

No fim, é tudo muito divertido. Agora com licença que vai começar a Liga dos Campeões.

Autor: Tags: , , , , , , , ,

quinta-feira, 19 de junho de 2008 azzurra, fotos, Sem categoria | 12:48

uma fotonovela

Compartilhe: Twitter


Depois de, segundo a Gazzetta, uma atuação nota 7 contra a França (eu daria uns 6,5), Cassano resolve comemorar a classificação de zorbinha algodão, desagradando a gregos, troianos, homens e mulheres. “Se era pra fazer isso, não podia ser o Buffon, o Cannavaro, o Toni, o Zambrotta ou até o Gattuso?”, reclamou uma amiga. (Reuters)

<img src=”http://ig-wp-colunistas.s3.amazonaws.com/abolanabota/wp-content/uploads/2008/06/cassanounhareu.jpg”
Corpinho devidamente exibido, depois da euforia, Cassano aproveita a folga e a tranquilidade da vaga garantida para… fazer as unhas. (Reuters)


Mas eis que surge o vilão. Luis Aragonés, técnico da Espanha, diz o seguinte sobre Pirlo e Gattuso, desfalques italianos para as quartas-de-final da Euro: “Admito que Pirlo seja um grande jogador, mas discordo de que Gattuso também seja. A Itália tem vários Gattusos, mas apenas um Pirlo. Se Gattuso for um grande jogador, eu sou um padre”. (Reuters)


Cassano, inconformado com as declarações do técnico rival, tentar à força tirar uma resposta da boca de Gattuso. Para sorte do volante, havia feito as unhas. (AP)

Tá bom, tá bom… eu paro. Prometo que não faço mais.

Autor: Tags: , ,

quinta-feira, 3 de abril de 2008 azzurra, Sem categoria | 11:36

a minha itália

Compartilhe: Twitter

Vamos lá. Resolvi topar o desafio do Gilson e colocar aqui minha Itália ideal para a Eurocopa. Vou escalar o time de 1 a 11, tentando:

a) Manter os jogadores que já mostraram, na Copa, não sentir o peso da camisa azzurra;

b) Escalar De Rossi e Aquilani, a dupla que, acho eu, será durante muito tempo titular da seleção italiana;

c) Colocar em campo os melhores jogadores tecnicamente, ainda que as chances de Cassano ser convocado, hoje, sejam quase nulas;

d) Explorar Toni, hoje o melhor jogador da seleção, da melhor maneira possível;

d) Deixar Del Piero de fora é incoerente com o item C, eu sei. Mas acho que ele pode, pela qualidade e idade que tem, e também pelo fato de não criar problemas fora de campo, ser uma boa opção de banco;

e) Sou fã de Gattuso (sim!). Mas, como Gennaro não atravessa mesmo boa fase, será sacrificado para que eu possa colocar em prática o item B;

f) Pirlo, neste meu time, será o responsável pela criação das jogadas no meio. Na prática, ele já fez isso na Copa; e se o Perrotta pode, por que o Pirlo não pode?

Dadas as devidas explicações, vamos ao time do professor Oddi, já no esquema tático 4-2-3-1:

E aí? Gostaram?

Autor: Tags: ,

domingo, 10 de fevereiro de 2008 fotos, milan, Sem categoria | 15:17

milan, um time-modelo

Compartilhe: Twitter


Home do site do Milan, instantes após a vitória sobre o Siena

Ingênuo, eu. Encerrado o jogo do Milan contra o Siena, corri para o site do clube para dar uma olhada na home. Imaginei, vejam só, que o garoto Paloschi, responsável pela vitória, pudesse estar destacado – não é sempre que um garoto de 18 anos estréia no Campeonato Italiano marcando um golaço logo em seu primeiro toque na bola.

Que nada. Dei de cara com o Pato, que, machucado, nem havia jogado. E sem camisa – ou quase. Cliquei para ver do que se tratava, embora o nome da grife “Dolce Gabbana” já me desse indicação do que viria pela frente… fotos de um calendário estiloso, com os jogadores e até o técnico Carlo Ancelotti (ou seria o Alec Baldwin?) pagando de modelões.

Tá quase todo mundo lá: tem o Emerson, o Cafu e o Serginho numa banheira, tem jogadores que agora computam mais minutos como modelos do que em campo pelo Milan (caso de Fiori, Ibrahim Ba e Gourcuff), tem o Pato juvenil, com aparelho para os dentes, e sex symbol, exibindo a pança (uma amiga queria que eu escrevesse “tanquinho”, imaginem).

Como este blog foi recentemente criticado por algumas moças por causa dos posts dos dias 1 e 4 de fevereiro, chegou a hora da vingança feminina. Abaixo, uma pequena amostra do calendário. Agora, quem quiser ver tudo que visite o site da Dolce Gabbana, tá? É só clicar aqui.


Sim, são eles: Gattuso, Ancelotti, Oddo, Dida, Gilardino e Emerson

Autor: Tags: , , , , , , , ,