Publicidade

Posts com a Tag jornal placar

terça-feira, 24 de agosto de 2010 inter, roma | 11:58

Mais do mesmo

Compartilhe: Twitter

Júlio César operando belas e decisivas defesas. Maicon jogando bem na Inter mesmo depois de tentar forçar uma ida para o Real Madrid. Lúcio fazendo mais do que lhe cabe e criando belas jogadas no ataque. Francesco Totti e Wesley Sneijder deliciando o público presente com passes e finalizações precisas e surpreendentes. Adriano entrando em campo visivelmente fora de forma e sem condições de jogo.  Eto’o resolvendo jogos com gols quando porventura Milito não os fizer.  Torcedores organizados protestando contra novas medidas de segurança. Os mesmos torcedores atirando fogos de artifício e outros objetos em campo. Inter e Roma decidindo um título. Um jogo equilibrado, bom e divertido entre as duas equipes. O time de Milão levando a melhor no placar final. A Roma entregando partidas bem jogadas em falhas individuais ou lances de nervosismo. A Inter levantando uma taça como campeã.

Se a final da Supercopa italiana entre Inter e Roma, vencida pela Inter por 3 a 1 no último sábado, foi um aperitivo do que vem por aí no Campeonato Italiano, já sabemos que o próximo torneio não terá muito de novo. Terá mais do mesmo, para o bem e para o mal.

Autor: Tags: , , , , , , , ,

sexta-feira, 14 de maio de 2010 azzurra, copa do mundo, jogadores | 10:30

Lippi pior que Dunga

Compartilhe: Twitter

Marcelo Lippi garante que não deixou de chamar Totti pela falta desleal em Balotelli (ver post abaixo)

 
Técnicos de seleções, às vésperas de uma Copa, têm em geral duas opções: convocar os melhores ou convocar aqueles que atravessam melhor momento — a Copa, afinal, é um torneio de tiro curto. Marcelo Lippi, bom técnico campeão mundial com a seleção italiana, conseguiu não fazer nem uma coisa nem outra. Não convocou os que são melhores, casos de Francesco Totti, Alessandro Del Piero ou Antonio Cassano, e tampouco aqueles que estão melhores, como Fabrizio Miccoli, do Palermo.

Sua lista de 30 jogadores tem como base, com 8 convocados, a Juventus de Turim, time que protagonizou o maior fiasco na temporada entre os grandes clubes da Itália. Além de levar à África jogadores que atravessam má fase técnica, Lippi incluiu em seu grupo pelo menos cinco atletas em condições físicas duvidosas. Tudo em nome da “unidade do grupo”, fator considerado pelo próprio Lippi a principal virtude da Itália tetracampeã mundial em 2006.

Priorizar o conjunto em detrimento do talento não é privilégio de Lippi, claro. O leitor, a esta altura, já deve estar pensando em Dunga. Mas os casos são diferentes: Dunga abriu mão de Ronaldinho, Ganso e Neymar, mas tem Kaká e Robinho; tem dois jogadores diferenciados, capazes de decidir, de improvisar, de surpreender. Lippi poderia, mas não tem ninguém assim em seu elenco. Tem De Rossi e Pirlo, dois ótimos volantes, como seus melhores jogadores. A seleção italiana irá à África sem nenhum jogador daqueles que, na Itália, são chamados de fuoriclasse, os fora de série.

Dunga priorizou o conjunto. Lippi ignorou o talento.

Autor: Tags: , , , , , , , ,

sexta-feira, 12 de março de 2010 jogadores, milan | 12:57

Exageros do “Caso Gaúcho”

Compartilhe: Twitter

Ronaldinho Gaúcho teve atuação discreta na vexatória eliminação do Milan diante do Manchester United pela Liga dos Campeões. Tão logo acabou o jogo, os antirronaldistas, que andavam sumidos, ressurgiram em fóruns na internet e e-mails dirigidos a programas de TV. “Estão vendo? Nas horas importantes ele some!”, diziam em linhas gerais, raivosos, lembrando as fracas atuações do Gaúcho contra Inter e Roma, pelo Campeonato Italiano.

O debate sobre a convocação ou não de Ronaldinho tem suscitado ódio e exagero. Nos casos acima, ódio por Ronaldinho. Na maioria dos casos, ódio por Dunga: baseados nos últimos quatro ou cinco meses do bom futebol apresentado por Ronaldinho na Itália, críticos têm visto no técnico da seleção um ex-cabeça-de-bagre intransigente, rancoroso e turrão, disposto a transformar a seleção num time de Dungas.

Eu levaria Ronaldinho à Copa. Mas Dunga, que pode até ser intransigente, rancoroso e turrão, tem motivos compreensíveis para não levá-lo. Lembrar daquilo que se cobrava do técnico da seleção após o fracasso da Copa-2006 talvez seja um bom início para entendê-lo. Se Ronaldinho não vier a ser convocado não será um absurdo. E a decisão final de Dunga, seja qual for, não deveria fazer ninguém espumar de raiva.

Até porque já sabemos quais os desfechos possíveis da não convocação. Com o Brasil campeão, Dunga será exaltado por ter “mantido sua coerência e linha de trabalho”. Com o Brasil eliminado, todos terão a certeza que, com Ronaldinho, a história teria sido outra. Afinal, se o futebol está longe de ser uma ciência exata, o mesmo não se pode dizer sobre suas análises: estas, haja o que houver, estarão sempre atreladas aos resultados.

Autor: Tags: , , , , ,

sexta-feira, 11 de setembro de 2009 azzurra, imprensa, jogadores | 10:27

Velho novo cérebro

Compartilhe: Twitter

Aí vai a coluninha desta sexta do Jornal Placar.

coluna2

 

 

 

Dunga já votou em Pirlo na eleição de melhor do mundo, mas foi cruel em uma recente conversa revelada pelo colunista da Placar Milton Neves: “O Pirlo acabou. Já votei muito nele nestas pesquisas que sempre chegam, mas hoje ele não marca, ataca ou lidera. Joga com o nome”, disse o técnico da seleção brasileira.

Dunga está enganado. Ao derrotar a Bulgária por 2 x 0 na última quarta-feira, um raro jogo decente da seleção italiana nos últimos tempos, o time teve Pirlo como seu principal homem de criação. Ele deu um lindo passe para o primeiro gol, marcado por Grosso, e foi um dos melhores em campo — como, aliás, já vinha sendo nas partidas em que a Azzurra ia mal.

Mas houve uma diferença do jogo contra a Bulgária em relação aos anteriores: nela, Pirlo não precisou se sacrificar com funções defensivas, correndo atrás dos adversários. Aos 30 anos, o meio-campista do Milan não é mais um garotinho. Se tentar marcar, atacar e liderar, como diz Dunga, talvez não dê mesmo conta.

Liberá-lo de suas atribuições de marcador para deixá-lo justificar o número 10 que ostenta na seleção foi um tiro certeiro de Marcelo Lippi. Um técnico que, por não convocar os jogadores mais criativos do futebol italiano, tinha obrigação de achar uma solução para sua seleção acéfala.

Preparado
O zagueiro Materazzi pediu que a torcida da Inter ignore Ibrahimovic no jogo contra o Barcelona, semana que vem, em Milão. Já o presidente do clube, Massimo Moratti, disse que eventuais vaias “não serão um absurdo”. Não entenda mal: o dirigente não quis estimular os apupos. Mas sabe que eles virão, em alto e bom som.

Os papões
O jornal La Gazzetta dello Sport divulgou a lista dos salários de todos os jogadores da Série A. O recém-chegado Samuel Eto’o é com folgas o mais bem pago: recebe da Inter 10,5 milhões de euros anuais. O Segundo, acredite, É Ronaldinho Gaúcho, com 7,5 milhões. Buffon (Juventus) e Vieira (Inter), com 5,5 milhões, e Totti (Roma), 5,46, completam a lista dos top 5.

PLE1334A capa europeu 09.inddE por falar em Placar, recomendo o Guia dos Europeus 2009-2010 da revista, que já está nas bancas de todo o Brasil (e cuja capa você vê aqui ao lado). Não (só) porque escrevi a parte relativa ao Campeonato Italiano, mas porque a revista está mesmo bem legal.

Aproveito para deixar aqui os meus palpites para campeões dos principais campeonatos da Europa, publicados na última página: Espanhol, Barcelona; Inglês, Chelsea; Italiano, Inter; Alemão, Hamburgo; Francês, Bordeaux; Português, Benfica; e Liga dos Campeões, Real Madrid.

E os seus palpites, quais são?

Autor: Tags: , , , , , ,

sexta-feira, 4 de setembro de 2009 azzurra, campeonato italiano, jogadores | 10:15

Caindo na real

Compartilhe: Twitter

Coluna desta sexta no Jornal Placar:

 

 

 

Em tempos de crise, o futebol italiano caiu na real. É o que mostra o saldo entre quanto os 20 times da Série A gastaram para comprar e quanto receberam por vender jogadores no último mercado. A cifra foi negativa, mas de apenas 13 milhões de euros: foram gastos, no total, 452 milhões, mas entraram no caixa dos clubes nada menos que 439 milhões. O balanço quase neutro, não tantos anos atrás, era algo impensável em um país que se notabilizava por torrar o que fosse preciso para contratar os melhores jogadores do planeta.

Tiveram peso decisivo nesse número o balanço final dos antes gastões clubes de Milão, Inter e Milan, que venderam Ibrahimovic e Kaká por 75 e 67 milhões de euros, respectivamente. A Inter ainda consumiu boa parte do dinheiro amealhado, encerrando o mercado com um saldo de pouco mais de 37 milhões; já o Milan preferiu deixar em seus cofres 55 milhões.

Como a Roma recebeu 20 milhões pela venda de Aquilani ao Liverpool e só gastou 3,5, foi a Juventus, entre os quatro principais times do país na última década, o único a gastar mais do que recebeu. Seu saldo foi de – 37,3 milhões e, destes, 24,5 foram gastos para tirar o meia Diego do Werder Bremen. Um investimento que, a julgar pelas duas primeiras rodadas do Italiano, será muito bem justificado.


***
Ao pedir demissão da Roma, Luciano Spalletti abriu mão dos 7,2 milhões de euros que ainda receberia até o fim do seu contrato, em 2011. Deixou de lado, também, a chance de trabalhar na Série A de 2009-10: na Itália, para evitar o troca-troca de técnicos, um treinador não pode dirigir duas equipes no mesmo campeonato.

***
Após dois ótimos jogos nas duas primeiras rodadas da Série A, cresceu o clamor pela convocação do atacante Cassano, da Sampdoria, para a seleção italiana. Em enquete promovida pelo site do jornal La Gazzetta dello Sport, 86% dos leitores disseram discordar da opção do técnico Marcelo Lippi de não convocá-lo.

Autor: Tags: , , , , ,

sexta-feira, 7 de agosto de 2009 azzurra, copa da uefa, jogadores | 12:20

Ronaldinho na balada. E daí?

Compartilhe: Twitter

Coluna desta sexta-feira no jornal Placar:

Cadê a notícia?
Num dia de folga, Ronaldinho Gaúcho foi a uma boate em Barcelona e voltou para casa de manhã. Não havia treino algum programado para aquele dia, e o próximo jogo importante do Milan acontece no fim deste mês. Ainda assim, o fato virou notícia.

Certos veículos espanhóis não se limitaram a informar e chamaram Ronaldinho de “incorrigível boa-vida”. Talvez as pisadas na bola de Adriano (estas relevantes, porque às vésperas de treinos) tenham confundido a imprensa européia. Mais provável, porém, é que a tentação da audiência fácil tenha levado certos veículos a fazer estardalhaço com o caso.

Mas até aí, parece, quebraram a cara.  Por curiosidade, chequei o que diziam os comentários da notícia reproduzida no site do jornal La Gazzetta dello Sport. Mais de 80% das mensagens iam nesta linha: “Ele é um milionário de 29 anos, não um monge”; “O que me interessa se sai nas folgas?”; “Ele é um prisioneiro?”; “Ronaldinho não é militar”; “Vocês querem que ele saia aos 70 anos e ganhando aposentadoria?”.

O Milan, ao qual Ronaldinho prometeu “se comportar” para dar a volta por cima, não deu bola. Até porque, diante das dificuldades para se reforçar, depois das boas compras feitas por Juventus e Inter e à luz dos pífios amistosos que fez, o fato de um jogador ter ido a uma boate num dia de folga é o menor dos seus problemas.

Mãozinha pra 2010
O Liverpool comprou, por 20 milhões de euros, o ótimo volante Aquilani, ex-Roma. Um dos melhores meio-campistas da Itália, ele jogava pouco no país por estar sempre machucado. Se os ingleses tiverem mais competência médica e o ‘consertarem’, darão uma bela ajuda para a Itália no próximo Mundial.

Tá preparado?
O rival não era lá essas coisas, mas nos dois jogos pela Liga Europa, contra o Gent-BEL, Totti marcou 4 gols pela Roma. Bem antes das partidas, ele se dizia feliz porque, pela primeira vez em anos, havia feito a pré-temporada com o time. As boas atuações serão só coincidência? Os romanistas esperam que não.

Autor: Tags: , , , , ,

terça-feira, 30 de junho de 2009 jogadores, milan | 20:04

Pato, o sucessor?

Compartilhe: Twitter

Segue a coluninha desta terça-feira no Jornal Placar.
Sobre a sucessão de Kaká: fora de campo, Pato está pronto?


Autor: Tags: , , ,

terça-feira, 12 de maio de 2009 jogadores | 13:10

Os piores brasilianos

Compartilhe: Twitter

Vamos à coluninha de hoje (em versão estendida) do Jornal Placar.

O Brasil que dá errado

Semana passada, já em clima de fase final de campeonato (decidido), usamos este espaço para eleger os 10 principais brasileiros do Italiano. Como o panorama não mudou, faremos agora o inverso, escolhendo os 10 que, de um jeito ou de outro, deixaram seus torcedores a ver navios. Vamos a eles:

1) Adriano (Inter):
Como a paciência do clube parecia infinita, ele mesmo tratou de pedir o boné, consolidando a queda definitiva de seu “império” em Milão;

2) Ronaldinho (Milan):
No início, até lembrou o velho jogador do Barcelona. Rapidinho, porém,voltou a ser o Ronaldinho da seleção. Temporada decepcionante, tanto que sua saída já é cogitada;

3) Mancini (Inter):
No início da temporada, era para ser um dos principais reforços do time de José Mourinho. Virou um reserva pouco prestigiado;

4) Emerson (Milan):
Em sua segunda temporada pelo time de Milão, apesar da lesão de Gattuso, atuou apenas em mais 12 joguinhos (a maioria entrando do banco) e anunciou seu adeus. Não deixará saudades;

5) Doni (Roma):
Na temporada passada foi um dos destaques do torneio, chegando a ser convocado para a seleção. Neste ano, falhou bem mais e passou a ser um goleiro discutido para o próximo Italiano;

6) Kerlon (Chievo):
Mais uma vez, sofreu com lesões. Mas para quem esperava muitos malabarismos…. Foram só três jogos do Foquinha no Italiano, todos saindo do banco;

7) Coelho (Bologna):
No início do ano, o lateral-direito disse “não” ao Palmeiras porque se diz feliz na Itália. Mas jogos como titular pelo ameaçado time de Bolonha foram só dois;

8) César (Bologna):
Está definitivamente em decadência. Lembrou muito mais os recentes tempos de Internazionale do que os bons momentos de destaque na Lazio;

9) Cicinho (Roma):
Para quem chegou com status de superstar, recebido por centenas de torcedores no aeroporto do Roma, deixou a desejar (e ainda criou algumas confusões);

10) Dida (Milan):
Quando Abbiati se machucou, viu uma pequena chance de voltar a ser titular da equipe. Mas… logo voltou ao banco, de Kalac, que foi o primeiro titular do ano e também havia deixado a posição por causa de lesão.

Autor: Tags: , , , , , , , , , ,

quarta-feira, 29 de abril de 2009 campeonato italiano, copa da itália, inter, jogadores, roma | 17:36

Giro d’Italia

Compartilhe: Twitter

Ciao, ragazzi. Enfim, consegui voltar. Então vamos correr. Primeiro, com a coluna de ontem no jornal Placar, que também voltou. Falando de Inter (e um pouquinho de Milan e Marilungo, sabem quem é?).

reprodução Jornal Placar
reprodução Jornal Placar
 

Aí, pra dar uma passada corrida em outros (ou nos mesmos) temas, vale também dizer que:

* O Milan na verdade, talvez devesse ver com bons olhos o confronto que tem contra a Roma. Afinal, entre os adversários mais importantes que enfrentou no Italiano, o time da capital já tomou de 4 da Lazio, da Fiorentina, da Inter, da Juventus…

* A informação teve que ser limada por falta de espaço na coluna, mas vale lembrar que o tal do Marilungo foi eleito o melhor jogador do último torneio de Viareggio, uma espécie de “Copa SP” dos Italianos. É mais uma credencial para acreditar no moleque, tanto ou até mais do que os dois gols do domingo passado. 

* A final da Copa será entre Sampdoria e Lazio, dois times dos quais se esperava um pouco mais no Italiano. Ambos tem, portanto, a chance de salvar a temporada. E eu ganho a chance de provar que tinha alguma razão ao escolher a Samp para contar com um destaque especial no último Guia dos Europeus da Placar (houve quem me criticasse por isso). Na verdade, me perdoem a imodéstia, já provei ter alguma razão, porque era um único nome, o de Cassano, que justificava aquele espaço especial. E, não sei se vocês concordam, mas Cassano provou ser, neste campeonato, o melhor jogador italiano da atualidade. Escolhas de Lippi à parte.

* Diiiiiiiizem, como diria Avalone, que o Berlusconi está insistindo para Leonardo ser o próximo técnico do Milan. Dizem que ele quer porque quer! E não só no Milan, mas na Itália, quando Berlusconi quer porque quer…  vale lembrar, porém, que se Leonardo quiser assumir o Milan em breve, terá que contar com um “técnico oficial de fachada” (Tassotti?), porque na Itália só quem tem o “diploma” de treinador pode dirigir times na Série A. E Leonardo é apenas um recém-matriculado na ‘scuola para mister’.

* Ao que parece, pelas notícias que chegam da Itália, a Juve resolveu fechar logo a contratação de Diego, nem que para isso tenha que pagar os 25 milhões de euros que o Werder Bremen pede. Não sei se isso é indicação de alguma coisa, mas vale lembrar que Claudio Ranieri, o (hoje contestadíssimo) técnico da Juve, sempre foi um dos menos entusiastas da chegada do meia. Dizia ele que, para contar com Diego, o time teria que “mudar o jeito de jogar”. Então, pelo jeito, vai mudar. Resta saber que técnico definirá essa nova forma. Se o próprio Ranieri ou não…

ps. Não sei se foi uma provocação do pessoal da placar essa bandeirinha na coluna. Mas o Rogério Andrade, presidente do Thank God For Football, me deu uma boa explicação: trata-se de uma homenagem à Inter e sua camisa comemorativa… então tá.

Autor: Tags: , , , , , , , , , , , , ,

quarta-feira, 19 de novembro de 2008 jogadores, Sem categoria | 12:09

A coluna e o protesto

Compartilhe: Twitter

Como de costume, reproduzo aqui minha coluna de terça-feira no Jornal Placar, cujo tema, para quem frequenta este espaço, é bem conhecido.

Antes disso, porém, um protesto: se ataco de Nélson Rubens do calcio, sofro críticas mas vejo os posts com algo entre 20 ou 30 comentários. Já se falo de futebol, como no último post…. humpf!

Protesto registrado, vamos à coluna:

Autor: Tags: ,

  1. Primeira
  2. 1
  3. 2
  4. Última