Publicidade

Posts com a Tag pato

sexta-feira, 9 de abril de 2010 campeonato italiano, jogadores | 10:44

Problema médico

Compartilhe: Twitter

Pato: vai e volta de lesões jogando pelo Milan

Não fosse o surpreendente fiasco dos até ontem badalados times ingleses e a convincente classificação da Internazionale para as semifinais da Liga dos Campeões da Europa, o alarde sobre a crise do futebol italiano seria bem maior. A crise, contudo, segue aí, comprovada pela iminência de o futebol tetracampeão do mundo perder uma vaga para a Alemanha no principal torneio da Europa— para a Liga de 2011-12, a situação é quase irreversível.

Os motivos da crise? Vários são elencados pela imprensa italiana, desde o domínio dos Ultras (as torcidas organizadas de lá) nos estádios, passando pelos comprovados casos de corrupção de árbitros ou dirigente e chegando ao alto percentual de impostos cobrados dos salários dos jogadores, o que dificultaria a contratação de estrelas do exterior.

Em outro motivo, porém, pouco se fala: a incompetência dos departamentos físicos e médicos dos principais clubes italianos como Milan, Roma e Juventus. Totti, Pato, Nesta, Del Piero… Não são poucos os exemplos pontuais, assim como é constante haver um grande número de desfalques por questões médicas e/ou físicas destas equipes, em qualquer jogo. O problema tem reflexo no Campeonato Italiano, claro, mas sobretudo nas competições continentais, onde as lesões dos times não se “equivalem” com as dos adversários. 

O melhor exemplo, porém, talvez seja a base da seleção italiana “ideal” na cabeça de Marcelo Lippi. Vejamos: Buffon, Zambrotta, Cannavaro, Chiellini, Grosso, Camoranesi, De Rossi, Marchisio, Pirlo, Totti e Iaquinta. Só mesmo a Itália conta com um time-base do qual 5 dos 11 “titulares” tem perdido ou perderam grande parte da temporada por lesão. É que, na Itália, estar machucado tem sido a regra, não a exceção.

Autor: Tags: , , , , , , , , , , , ,

segunda-feira, 17 de agosto de 2009 campeonato italiano, milan, Sem categoria | 19:11

O Milan é bom. Só não é favorito

Compartilhe: Twitter


Pato vibra após gol contra a Juve: ele jogar um pouco mais do que no ano passado é uma das muitas condições pra esse Milan (que não é ruim como dizem) dar liga

Eu estava para escrever há algum tempo. Para não parecer oportunista, não queria fazê-lo justamente depois de o Milan ganhar, enfim, alguma coisa. Ainda que esta “coisa” seja o troféu Luigi Berlusconi, e nos pênaltis (clique aqui para ver como foi o triunfo sobre a Juve). Bom… mesmo parecendo oportunista, direi: há um baita exagero sobre o que se fala em relação às deficiências desse time.

É óbvio que hoje a Inter é o melhor time da Itália. Também é evidente que, ao lado da Juventus, a equipe nerazzura foi a que melhor contratou. E que isso faz de Inter e Juve, sem dúvida e para mim nesta ordem, os favoritos à conquista do Campeonato Italiano 2009-2010.

Mas daí a dizer que esse time do Milan é “muito fraco”, como tanta gente tem dito, vai um longo caminho.

Até é possível entender como e por que nasceram críticas tão contundentes. Recapitulemos:

Primeiro o Milan vende Kaká, seu melhor jogador, e por isso começa a temporada cercado de compreensíveis protestos da torcida. Ao contrário da Inter, que “trocou” Ibrahimovic por Eto’o,  o time demora para trazer um reforço  de peso e, quando o faz, anuncia Huntelaar — que, convenhamos, não empolga. Em meio a esse clima, e talvez esteja aí o motivo das críticas terem crescido tanto nas últimas semanas, o Milan coleciona uma sequência de 10 amistosos sem vitória (incluo na lista o jogo de hoje).

É evidente que as chances de o Milan vencer o próximo Italiano são menores das de Inter e Juventus. É evidente que a perda de Kaká, chegasse quem chegasse, seria muito sentida. Só não é evidente, para mim, que essa batelada de amistosos signifique alguma coisa (são tantos os exemplos de pré-temporadas passadas…). Assim como não é evidente que esse time do Milan é “muito fraco”, como já ouvi tanto, especialmente na imprensa brasileira.

Vale uma olhada na provável escalação titular da equipe de Leonardo:

Abbiati (Dida), Zambrotta, Thiago Silva, Nesta e Jankulovski; Gattuso, Pirlo e Flamini (Ambrosini); Pato, Huntelaar e Ronaldinho.

O amigo há de concordar, não é um time tão ruim assim (os goleiros, vá lá…). Pode-se criticar a idade dos laterais, mas, em termos de qualidade, é uma dupla superior, por exemplo, à da Juventus (Zebina e Molinaro). Na zaga, a dupla Thiago Silva e Nesta não deve nada a nenhuma outra da Itália (Mexes e Juan, talvez?). O meio-campo, que além dos três escalados (dois campeões do mundo) ainda conta com opções como Seedorf, Ambrosini e o promissor Abate, também não parece “muito ruim”. E no ataque, se o desempenho do trio ainda é uma incógnita (ao contrário do de Inzaghi, o grosso que sempre satisfaz), não há tantas dúvidas sobre sua qualidade técnica.

Esse Milan precisa dar liga. Precisa que o bom Thiago Silva dê certo e que Nesta esteja realmente recuperado de suas infinitas lesões (deu esperanças de estar). Precisa que seus veteranos, que ainda não são poucos, tenham condições de jogar toda uma temporada. Precisa que Pato faça só um pouco mais do que mostrou ser capaz de fazer na temporada passada. E que Ronaldinho jogue mais ou menos a metade do que já mostrou saber jogar.

Precisa de muita coisa, é verdade. Mas não é um time, pela qualidade dos jogadores que tem, que pode ser descartado de antemão, pelo menos no futebol italiano (e na Europa a vida é dura para todos os italianos).

O Milan só não é favorito. O que, por se tratar do Milan e do seu histórico — o clube mais vencedor dos últimos 20 anos no planeta —, acaba fazendo todo esse barulho. E virando, para alguns, um time “muito ruim”.

 PS: A vibração do Adriano Galliani e a expressão do Leonardo depois de Thiago Silva converter o pênalti decisivo contra a Juve mostraram que, para o Milan, o torneio de hoje era menos “amistoso” que para a Juve.

PS2: O Italiano está mesmo em baixa. Na enquete que está na home do iG Esporte, 45% dos internautas preferem o Espanhol; 35%, o Inglês; e apenas 18% optam pelo Italiano como “o preferido”. Dá pra entender…

Autor: Tags: , , , , , ,

terça-feira, 30 de junho de 2009 jogadores, milan | 20:04

Pato, o sucessor?

Compartilhe: Twitter

Segue a coluninha desta terça-feira no Jornal Placar.
Sobre a sucessão de Kaká: fora de campo, Pato está pronto?


Autor: Tags: , , ,

quarta-feira, 6 de maio de 2009 jogadores | 13:14

Os melhores brasileiros do Italiano

Compartilhe: Twitter

Vamos à coluninha de ontem no Jornal Placar, na qual escolhi os 10 melhores brasileiros deste Campeonato Italiano que está prestes a acabar. Fiquem à vontade para cornetar: mudar a ordem, acrescentar nomes, excluir outros… depois, se for o caso, podemos discutir mais por aqui.

Autor: Tags: , , , , , , , , ,

segunda-feira, 6 de abril de 2009 campeonato italiano, milan | 11:19

Ancelotti e um recado para Dunga

Compartilhe: Twitter

Daqui a pouco falamos da rodada do Italiano, olhando para a provável falta de emoção que vem pela frente. A Inter ficou ainda mais perto do título; e o Genoa, graças a um gol de Thiago Motta, mais perto da Liga dos Campeões.

A única surpresa da rodada, convenhamos, é Ronaldinho Gaúcho sair do banco de reservas do Milan para garantir a vitória sobre o Lecce, já nos acréscimos da partida disputada no San Siro. Ser herói, ultimamente, tem muito mais a ver com Thiago Motta do que com Ronaldinho Gaúcho.

Falo de Ronaldinho só para relatar o que Carlo Ancelotti, após a partida, respondeu aos jornalistas do programa La Domenica Sportiva que lhe perguntaram sobre a decisão de Dunga ter escalado Ronaldinho Gaúcho como titular contra o Equador — e não ter dado uma chance similar para Pato, o melhor atacante do Milan nesta temporada.

Pouco depois de reiterar a idéia de que Pato, hoje, tem mais condições de jogo do que Ronaldinho, Ancelotti lembrou-se dos tempos em que jogava contra Dunga pelo Italiano:

“É preciso tomar cuidado na hora de falar do Dunga, porque se ele nos escuta corremos o risco de nos machucar”.

Lhe disseram, então, que Dunga havia reclamado do fato de Ronaldinho não jogar no Milan, o que prejudicaria as condições do brasileiro no serviço à seleção brasileira.

A resposta de Ancelotti: “Esses são lugares comuns. O Ronaldinho está aqui, eu o vejo todos os dias. E o Milan tem grandes jogadores, infelizmente eu não posso fazer todo mundo jogar”.

Veio então a brilhante intervenção do comentarista/humorista/milanistas Teo Teocoli:

“Pera lá! A gente já fica treinando o Beckham para jogar com a Inglaterra. Não dá pra ficar treinando também o Ronaldinho para o Brasil. O Milan não é centro de treinamento de seleções, né?”

Ancelotti sorriu. E se despediu.

Para encerrar: se Ronaldinho não joga como titular no Milan, Dunga que nos perdoe, mas a culpa não é culpa de Ancelotti. É?

Autor: Tags: , , , ,

sexta-feira, 27 de fevereiro de 2009 copa da uefa, milan | 18:25

A crise do Milan: problemas e soluções

Compartilhe: Twitter

AFP

Agora não há mais o que esperar. Podemos dizer que o Milan fracassou completamente, consiga ou não sua vaga “direta” na próxima Liga. A Copa da Uefa podia, em princípio, nem ser a prioridade do time. Mas ninguém conseguirá me convencer que, depois de o Milan ter jogado a toalha no Italiano, o torneio não tinha importância. Tinha sim, e muita. Diziam alguns que era o que podia salvar a cabeça de Carlo Ancelotti. Até porque, como sabemos, é o único título que o clube não possui — e é um título que, por sua competência, o Milan tem raríssimas chances de disputar e conquistar.

No jogo de ontem, só Pato, e ninguém mais, salvou-se — recebeu nota 7 da Gazzetta dello Sport. Entre os demais, todos são candidatos a culpados. Ancelotti é o preferido da torcida, e Dida não fica muito para trás (levou um 4,5 da Gazzetta). Mas tem gosto pra tudo: Senderos, Seedorf, Berlusconi, Maldini (aliás, quando você o vê fazendo sinal pra torcida ficar quieta é que as coisas chegara mesmo no fundo do poço)…

Hoje mesmo a Gazzetta promove uma enquete para definir o motivo da eliminação. As opções: uma defesa inadequada (a preferida dos torcedores, veja abaixo), o mau preparo físico, Ancelotti (claro), a falta de prioridade à Uefa e, por fim, as lesões de alguns jogadores.

AFP 

É tão curiosa essa necessidade de escolher “um só culpado” pela crise do Milan como são indissociáveis os motivos acima. Com exceção da “falta de prioridade” para a Uefa que, como já disse, acho que não cabe aqui.

Porque as relações são fáceis, óbvias até: alguém dúvida de que a defesa inadequada só é inadequada, entre outras coisas, porque Nesta está sempre sem condições físicas de jogar futebol? Que as escolhas de Ancelotti também são em parte condicionadas por estas ausências e está má preparação? Alguém cre que se jogadores como Gattuso, Kaká (e, vá lá, Ronaldinho) estivessem jogando a história não podia ser diferente? De certa forma, todos são, com mais ou menos peso, bons motivos para justificar a eliminação.

Os problemas do Milan são públicos (e os mesmos) há tempos, não existem muitos bastidores ou “coisas a serem descobertas”. As críticas que se fazem ao Milan de hoje não são, em boa medida, tão diferentes daquelas que se faziam no ano passado. A idade, apesar da boa entrada de Pato, continua sendo uma delas. Mas também neste caso as simplificações não fazem sentido — exemplo: Zambrotta é um “novo veterano” do time, mas, embora veterano, ao meu ver, é um dos melhores da equipe.

É claro que sempre se pode, depois de uma temporada como essa, apontar novos erros. E um exemplo dessa categoria foi acreditar que Senderos, já na Inglaterra um zagueiro pouco útil, pudesse em algum momento solucionar os problemas defensivos da equipe (ou será que o erro foi mesmo um outro antigo, o de acreditar que Nesta, um dia, voltará a jogar constantemente?).

De qualquer forma, não quero cair aqui na obviedade de listar os problemas do Milan. Porque, eu aposto, as soluções são tão óbvias em termos de o que fazer com o elenco que, se eu listar todos os jogadores do clube aqui, vamos quase todos concordar em quais devem ficar, quais devem sair (ou parar) e quais podem ter uma nova chance. A maior dúvida talvez seja mesmo sobre Ancelotti, mas esse pode ser tema para um outro post.

Vamos ver? E aí? Desses caras abaixo, alguns que sequer foram usados até hoje, quem deve ficar e quem deve sair para que o Milan volte a ser o Milan em 2009-2010? E onde o time precisa de reforços?

Goleiros
Dida, Abbiati e Kalac

Defensores
Maldini, Kaladze, Nesta, Zambrotta, Jankulovski, Favalli, Senderos, Bonera, Darmian, Antonini, Felipe Mattioni e Thiago Silva

Meio-campistas
Emerson, Gattuso, Cardacio, Pirlo, Ambrosini, Beckham, Flamini, Seedorf

Atacantes
Pato, Inzaghi, Borriello, Viudez, Kaká, Shevchenko e Ronaldinho

PS: se alguém encontrar na rede a foto de Maldini pedindo à torcida para ficar quieta, por favor coloque o link aqui embaixo.

PS: e com a ainda mais doída eliminação da Fiorentina, periga, logo logo, a gente dizer que a Udinese é a Itália nas copas européias. Nesse caso, acho que seria justo este blog entrar em recesso.  ; )

Autor: Tags: , , , , ,

segunda-feira, 12 de janeiro de 2009 campeonato italiano, fotos, imprensa, jogadores, milan | 11:03

Ei, Pato, não deixa ele montar!

Compartilhe: Twitter

Que Pato foi a estrela do Milan no empate com a Roma ninguém discute. Até porque, com aquele segundo gol — no primeiro, convenhamos, Kaká teve mais méritos — não dá pra discutir isso. “Pato e Vucinic espetaculares”, escreveu o site da Gazzetta, enquanto o jornal preferiu um “Pato, estrela entre as estrelas”. O Corriere dello Sport foi com um menos criativo “Pato e Vucinic show”. Mas, enfim, todos concordaram.

Discutida é a atuação de David Beckham. Não porque ela tenha sido marcante — para o bem ou para o mal. Discute-se, claro, porque foi sua estréia. Mas também, simplesmente, porque trata-se de David Beckham.

A Gazetta dello Sport fez o que devia fazer: destacou o fato de ele ter jogado 90 minutos, tascou-lhe uma merecida nota 6 e parou por aí, sem, pelo menos por enquanto, fazer grandes julgamentos ou previsões. O que, afinal, soaria ridículo depois de um único jogo.

Os jornais ingleses, porém, não se entenderam. Alguns, como o Independent ou o Daily Telegraph, disseram que Beckham “brilhou em uma estreia-surpresa” ou que “com 33 anos surpreende ao demonstrar poder disputar um jogo inteiro em alto nível e manda uma mensagem a Fabio Capello”.

Outros mais realistas, como o Guardian, disseram que Becks não teve “grande influência na partida”.

O The Sun estampou um “Don’t go Beck”, pedindo ao jogador que não volte aos Estados Unidos utilizando a  argumentação (lógica, por sinal) de que a seleção inglesa precisa que ele continue no Milan, jogando num futebol de verdade.

Mas a opinião mais surpreendente — e, acho, inexplicável — é a do The Times. Espiem só a cacetada que o o jornal reservou para David: 

“Seu ponto forte são as cobranças de falta. Então por que ele foi jogar em um clube que conta com os melhores especialistas do mundo nesse quesito? Foi a vaidade que o levou ao Milan. Se ele queria jogar para manter uma dúvida na cabeça de Fabio Capello, não teria sido melhor jogar por um time menos fascinante, mas onde ele poderia cobrar as faltas? Por que não o Chievo, o Bologna ou o Cagliari? Será que a ‘marca’ Beckham não poderia suportar uma opção menos fascinante? Em outras palavras, a marca é mais importante do que conquistar uma nova presença na seleção”.

Não satisfeito, o The Times ainda sugere que, depois dos gols, Beckham só correu para abraçar Pato porque queria aparecer nas fotos da partida em todo o planeta — como nesta, da Reuters, que você vê neste post. Como bem argumentou o Allan Brito, aqui da redação do iG Esporte, “se ele não corre vão dizer que o cara não liga pro time, que só quer saber dele próprio”.

Mas, pensando bem, de toda essa estapafúrdia tese do The Times, é só mesmo nessa insinuação que eles podem ter alguma razão. Ou alguém acha mesmo que jogando pelo Cagliari ele tinha mais chances de impressionar Capello?

Leia também:
* Beckham elogia Pato e diz que ele pode ser um dos melhores do mundo
* Após estreia, Beckham ganha elogios de Carlo Ancelotti 

Autor: Tags: , , , , ,

quinta-feira, 25 de dezembro de 2008 azzurra, campeonato italiano, copa da uefa, copa do mundo, inter, jogadores, juventus, milan, roma, técnicos | 12:40

20 perguntas para responder em 2009

Compartilhe: Twitter

É isso, 2008 praticamente já se foi. E como para o futebol europeu o ano começa em julho e acaba em junho, nem dá pra gente fazer muitos balanços. Porque, se o final da temporada passada não foi legal para o calcio — italianos fora da final da Liga, violência, prisões etc —, o começo da temporada 2008-09 foi bem promissor — vários candidatos ao título, Ronaldinho, Mourinho, Beckham etc.

Melhor, agora, é olhar para frente. Porque não faltam boas perguntas a serem respondidas sobre o futebol italiano neste ano que está prestes a começar. Vou colocar aqui 20 delas (quem tiver mais que mande) e, como não sou de ficar em cima do muro, vou dar meus palpites pra cada uma. Quem encarar que faça o mesmo. 

1) Amauri jogará mesmo pela seleção italiana ou Dunga, na hora H, não vai permitir, convocando-o para  a seleção brasileira para enfrentar justamente a Itália, no dia 11 de fevereiro?
Pelo jeito, Dunga tremeu com a possibilidade de enfrentar Amauri e levar cacetadas e mais cacetadas se o atacante viesse a marcar pela Azzurra contra o Brasil. Agora, parece, a convocação será para a seleção Brasileira (aliás, Dunga, precisava o Júlio César te avisar sobre as qualidades do Amauri?!). Resta saber o quanto ele jogará. Tenho dúvidas sobre o que seria melhor para o atacante…
 
2) Adriano terá a enésima chance de voltar à Inter? Ou será que Mourinho e, principalmente, Moratti terão enfim chegado ao limite?
Meu bom senso não me permite acreditar que a Inter dará outra chance a ele. Aposto numa saída já em janeiro…

3) A Inter, hoje líder com seis pontos de vantagem no Italiano, continuará sobrando rumo ao tetracampeonato?
Sobrando, não. Essa diferença, acho, ainda será reduzida em algum momento – e acredito mais no Milan do que na Juve como segunda força. No final das contas, porém, o título irá mesmo para a Inter, sabe-se lá com qual vantagem.

4) E a postura de Mourinho? O português irá enfim parar de brigar com a imprensa italiana? Dependerá dos resultados para isso?
Mourinho incorporou um personagem e não parece disposto a mudar. Se perder, mal-humorado, terá mais motivos para criticar tudo e todos no futebol italiano. Se ganhar, seu moral vai para as nuvens. E aí, com o ego (ainda mais) inflado, alguém acha mesmo que ele vai parar?

5) Ibrahimovic, Kaká ou Del Piero: qual deles será escolhido o melhor jogador do Italiano?
A história diz que o melhor do campeonato pertencerá sempre ao campeão, e até por isso coloquei apenas os três como candidatos. Seguindo a mesma lógica, portanto, fico com Ibra. De novo.

6) Os garotos da Juventus, Marchisio, De Ceglie e Giovinco, seguirão em alta até o fim do campeonato?
Nessa “alta” atual sim: os três já mostraram que sabem jogar, embora nenhum deles tenha tido a regularidade necessária para ser mantido como titular indiscutível. O problema é que se a Juve seguir na Liga dos Campeões essa regularidade pode ser imprescindível.

7) Beckham será só um (eficiente) garoto-propaganda no Milan ou terá importância em campo? E, se tiver, tem chances de ficar?
Beckham será útil nesses poucos jogos que fará pelo dilacerado meio-campo milanista. Mas não o suficiente para que o Milan cogite uma loucura (financeiramente falando) a ponto de tirá-lo do Galaxy já. Sua passagem, no fim das contas, terá sido útil tanto do ponto de vista do marketing (mais) como do ponto de vista esportivo (menos). 

8) Como o Milan irá (se é que irá) resolver seus problemas defensivos sem Thiago Silva?
Sem a perspectiva da escalação do brasileiro e nem da volta de Nesta, a solução definitiva fica para 2009-10. O que não quer dizer que o Milan, com o meio-campo e ataque que tem, não possa dar trabalho no Italiano e, ainda mais fácil, conquistar a Uefa.

9) Como será o balanço final da primeira temporada de Pato e Ronaldinho no Milan?
Nem decepcionante, nem excpecional. Para ambos, algo entre uma nota 6,5 e 7. E ambos podem estourar em 2009-10.

10) A disputa entre Milan e Juventus para ver quem conta com mais ‘elenco’ no departamento médico continuará acirrada?
Não faço a menor idéia. Mas, sem Nesta e Gattuso, o Milan deve sentir mais as ausências. Até porque a Juve, entre os seus lesionados, tem o Zebina (maldade…).

11) E por falar em lesões, a de Totti durará quanto tempo? Era um mês, já virou dois. Quem dá mais?
Dois meses sem Totti já podem bastar para tirar a Roma da Liga dos Campeões. O fato, triste, é que Totti, o melhor jogador de futebol italiano hoje, não consegue mais passar dois meses seguidos jogando futebol.

12) Para compensar a tristeza romanista, Menez vai mesmo deslanchar, como ameaçou neste fim de ano? E Brighi continuará jogando tudo o que ninguém achou que jogasse?
Menez já mostrou ser bem mais que aquele jogador bizarro do começo de temporada. E a “ex-surpresa” Brighi, acho, até veio para ficar, dentro das suas limitações. Mas nada disso basta para compensar a possível ausência de Totti. Sem ele, a Roma não vai.

13) Napoli, Lazio e Genoa vão mesmo dar trabalho na briga por uma das quatro vagas na Liga?
Não. Se a Roma ficar mesmo fora dessa disputa, a Fiorentina já pode comemorar: a quarta vaga na Liga é sua. E, pra ousar ainda mais: o Napoli vai para a Uefa.

14) Quem será o artilheiro do Italiano: Ibrahimovic, Amauri ou nda?
Ibra.

15) Quem vai cair?
Sem surpresas: Chievo, Reggina e Lecce. Se um deles não cair, o Siena vai.

16) Cannavaro, Toni, Rossi, Grosso, Oddo, Dossena… Quem será (se é que haverá) o destaque italiano fora da Itália na temporada?
O tempo passa, o tempo voa, as críticas vêm e eu sigo sempre com Luca Toni.

17) Cassano chegará a ser convocado por Marcelo Lippi em 2009 para ter alguma esperança de ir à Copa de 2010?
Não é minha vontade. Mas Cassano está fora da Copa, desde já.

18) A boa dupla Gilardino e Mutu, da Fiorentina, continuará fazendo mais sucesso que a boa dupla Di Natale e Quagliarela, da Udinese?
Em seus clubes, sim. Se não brigarem por vaidade (afinal, quem é a estrela do time?), Gila e Mutu vão longe. Até porque, o que quer a Udinese? Mas é bom lembrar que a dupla Di Natale e Quagliarela, com Amauri descartado e Toni em baixa na Azzuurra, poderá mostrar serviço também na seleção.

19) Quem será o melhor e o pior brasileiro ao fim do Italiano 2008-09?
Os melhores, Kaká e Maicon. O pior, Adriano, mesmo saindo agora.

20) Onde vão parar, se é que vão parar, os italianos na Liga dos Campeões?
A Inter vai pagar a bobeada na primeira fase e cai já nas oitavas, contra o Manchester. A Roma, com Totti, passa do Arsenal. E a Juve, surpresa, elimina o Chelsea! Depois disso, sem saber o que o sorteio reserva, dar qualquer palpite já seria abusar da sorte, né?

E aí? Não quer deixar também as suas previsões?

Autor: Tags: , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,

quinta-feira, 18 de setembro de 2008 copa da uefa, milan | 18:14

Na Uefa, só deu Itália

Compartilhe: Twitter

Quatro jogos com italianos, quatro vitórias — mas com significados bem diferentes.

Milan 3 x 1 Zurich
Se o Milan estava mesmo pensando em emprestar Pato à Udinese, deve ter mudado de idéia. E não só pelo golaço do brasileiro, mas pela boa partida e disposição. Depois, no meio do segundo tempo, Boriello entrou no seu lugar e marcou logo de cara. Sei não, mas acho que não será surpresa se Ancelotti optar por transformar os dois em titulares do Milan logo logo. O que poderia até ter acontecido hoje.

Mas o técnico preferiu começar com Boriello no banco, porque ele ainda está voltando de lesão. E também, acho, porque era uma boa chance de Shevchenko voltar a marcar, ganhar confiança e voltar a ser o velho Sheva do Milan. Só que o ucrâniano ficou no quase. Quase fez dois golaços: um de bicicleta, bem defendido pelo goleiro, outro depois de uma bela jogando, livrando-se do zagueiro, mas que acabou no travessão.

Ronaldinho Gaúcho entrou no fim e, diriam os maldosos, depois disso o jogo foi 1 x 0 Zurich. O que não tem nada a ver, claro. E, sobre o Dida, parece que a escolha do Abbiati realmente não é a pior que Ancelotti poderia ter feito para ser titular do Milan hoje. Mas se é a melhor, como ainda há Kalac, não sabemos.


Shevchenko tenta voltar a ser o velho Sheva: quase deu, duas vezes (Reuters)

Napoli 3 x 2 Benfica
Com 60 mil pessoas no estádio San Paolo, o jogo foi o recorde de arrecadação dessa nova era do Napoli — a “Era De Laurentis”. Mas, em que pese o fato de o Napoli ter enfrentado o adversário mais difícil entre todos os italianos da Uefa, o resultado não foi tão bom quanto a grana recebida.

Os dois gols feitos fora de casa podem fazer a diferença para o Benfica, que com 1 x 0 ou 2 x 1 em Lisboa passa de fase. Embora também seja verdade que, com o ataque rápido e habilidoso que tem, jogar fora de casa, nos contra-ataques, com os gols “valendo mais”, pode ser uma boa para os napolitanos.

Um diretor do Napoli já avisou que, para eles, conseguir jogar a fase de grupos da Uefa já seria o máximo no torneio, porque o time faria várias partidas para se habituar de novo com os jogos internacionais. Não sei, mas talvez tenha ficado mais difícil chegar lá depois dos 3 x 2 de hoje…

Sampdoria 5 x 0 Kaunas
Foi o melhor resultado dos italianos, com “doppietas” de Bonazolli e Cassano. Mas era em casa e, principalmente, contra o Kaunas, né?

Borussia Dortmund 0 x 2 Udinese
Certamente o melhor resultado dos italianos na Uefa: contra um adversário de respeito, fora de casa e mesmo jogando sem suas principais estrelas, Di Natale e Quagliarella, que só entraram na segunda metade do segundo tempo — Floro Flores e Inler resolveram.

Autor: Tags: , , , , ,

domingo, 10 de fevereiro de 2008 fotos, milan, Sem categoria | 15:17

milan, um time-modelo

Compartilhe: Twitter


Home do site do Milan, instantes após a vitória sobre o Siena

Ingênuo, eu. Encerrado o jogo do Milan contra o Siena, corri para o site do clube para dar uma olhada na home. Imaginei, vejam só, que o garoto Paloschi, responsável pela vitória, pudesse estar destacado – não é sempre que um garoto de 18 anos estréia no Campeonato Italiano marcando um golaço logo em seu primeiro toque na bola.

Que nada. Dei de cara com o Pato, que, machucado, nem havia jogado. E sem camisa – ou quase. Cliquei para ver do que se tratava, embora o nome da grife “Dolce Gabbana” já me desse indicação do que viria pela frente… fotos de um calendário estiloso, com os jogadores e até o técnico Carlo Ancelotti (ou seria o Alec Baldwin?) pagando de modelões.

Tá quase todo mundo lá: tem o Emerson, o Cafu e o Serginho numa banheira, tem jogadores que agora computam mais minutos como modelos do que em campo pelo Milan (caso de Fiori, Ibrahim Ba e Gourcuff), tem o Pato juvenil, com aparelho para os dentes, e sex symbol, exibindo a pança (uma amiga queria que eu escrevesse “tanquinho”, imaginem).

Como este blog foi recentemente criticado por algumas moças por causa dos posts dos dias 1 e 4 de fevereiro, chegou a hora da vingança feminina. Abaixo, uma pequena amostra do calendário. Agora, quem quiser ver tudo que visite o site da Dolce Gabbana, tá? É só clicar aqui.


Sim, são eles: Gattuso, Ancelotti, Oddo, Dida, Gilardino e Emerson

Autor: Tags: , , , , , , , ,

  1. Primeira
  2. 1
  3. 2
  4. Última