Publicidade

Posts com a Tag revelações

segunda-feira, 6 de abril de 2009 jogadores, vídeos | 15:40

Macheda, a nova esperança

Compartilhe: Twitter

É claro que parece (e provavelmente é) exagero toda a euforia com que a Itália e a Inglaterra celebram o “nascimento futebolístico” do garoto Federico Macheda, o italianinho de 17 anos que entrou no fim do jogo do Manchester Contra o Aston Villa e garantiu a vitória dos Red Devils com o golaço que você vê abaixo.

Parece exagero, mas a gente há de convir que o cartão de visitas apresentado neste domingo até justifica a euforia. Nunca vi o tal do Macheda jogar, sequer esse jogo contra o Aston Villa eu vi (e há quem diga que ele não mostrou muita habilidade nos outros poucos lances dos quais participou).

Macheda, como já foi bem divulgado, pertencia às categorias de base da Lazio. Olheiros do Manchester foram assistir a alguns jogos do time da capital italiana para observar um outro moleque, cujo nome desconheço. Acabaram não se interessando no ‘primeiro alvo’, mas se encantaram com o faro de gol de Macheda.

Tirá-lo da capital italiana, em qualquer circunstância, já não seria muito difícil para um clube com o poderio econômico do Manchester. Mas tudo ficou ainda mais fácil porque na Itália os clubes não podem ter contrato com jogadores de apenas 16 anos de idade. O Manchester fez então uma boa oferta a Macheda, que incluia até emprego para os seus pais na Inglaterra. Proposta irrecusável e aceita.

Antes de fazer sua estreia neste domingo, Macheda já havia marcado os três gols do Manchester “reserva” em um empate por 3 x 3 com o Newcastle, no fim de março (veja os gols). E a aposta de Ferguson, ao que tudo indica, não foi só “um chute” num momento de aperto: fosse assim, ele provavelmente não teria acrescentado, em fevereiro passado, o nome de Macheda na lista de jogadores inscritos na Liga dos Campeões.

Aliás, é bom lembrar: não foi Macheda o único jovem italiano inscrito por Ferguson para a Liga. Na nova relação, consta também o nome de Davide Petrucci, um meia da mesma idade de Macheda, ex-Roma, e que já foi apontado por alguns apressadinhos italianos como o “novo Totti”.

Pode ser muito barulho por nada, é claro. Mas o fato é que, além de Rossi, Giovinco, Pazzini, Balotelli, Foggia e companhia, os técnicos das seleções italianas (de base, principalmente) têm a cada vez mais opções para ficar de olho. Porque pelo menos algus dos nomes citados neste post, tenho certeza, fará uma visitinha ao Brasil em 2014.

Autor: Tags: , , , , , ,

sexta-feira, 5 de setembro de 2008 azzurra, inter, jogadores | 20:54

Balotelli, um italiano

Compartilhe: Twitter

A Itália só empatou com a Grécia, 1 x 1. Adiou assim a classificação para os playoffs que definirão as seleções que jogarão o próximo Europeu sub-21. A vaga será disputada contra a Croácia, fora de casa, e a Azzurrinha deve se classificar no mínimo como um dos melhores segundos colocados. Mas isso tudo não importa muito.

O jogo de hoje só ganhou a capa da Gazzetta dello Sport e a enorme atenção da imprensa italiana por causa de Mario Balotelli. O garoto que aos 18 anos, enfim, fez sua estréia com a camisa da seleção italiana, como você pode ver nesse sorriso aí à esquerda. É que é daqueles jogadores com uma história que valem bem mais que um post de blog.

Ainda assim, lá vou eu. Começando com um resuminho do passado.
 

Ele nasceu em Palermo, filho de imigrantes ganeses, foi adotado com apenas 2 anos pela família Balotelli e, por causa de uma série de imbróglios jurídicos e burocráticos, sua adoção formal demorou a sair — assim como sua nacionalidade italiana.

No fim, a falta do “RG” italiano acabou dificultado a saída de Balotelli para clubes do exterior, como um interessadíssimo Barcelona. Melhor para a Inter, que ganhou a intensa disputa com vários times das Séries A e B italiana — a Fiorentina tinha tudo acertado — e acabou contratando o garoto no dia 31/8/2006.

Daí pra frente, Balotelli foi queimando as etapas. Passou antes do previsto dos “Allievi” para a “Primavera” (as categorias de base da Itália). Depois, virou profissional também “antes da hora”: com apenas 17 anos, coisa rara, fez sua estréia na Série A, promovido pelo técnico Roberto Mancini.

Continuou jogando, e cada vez mais. Rápido, habilidoso e bom finalizador, marcou vários gols. E não demorou a virar o queridinho do novo técnico da Inter, José Mourinho.

Mas só hoje, porque com 18 anos completos pôde obter sua cidadania italiana, Balotelli fez sua estréia em uma categoria de base da Azzurra. Mesmo tendo nascido em Palermo. Mesmo falando italiano perfeitamente. Mesmo se chamando Mario Balotelli. Mesmo tendo recusado vários convites de Gana para jogar pela seleção africana. Mesmo cantando o “Inno di Mamelli” a plenos pulmões.

Enfim, coisas da burocracia. Porque Balotelli é muito italiano, como ele mesmo diz.

Agora, um resuminho do jogo de hoje. Que Balotelli só começou como titular porque Rossi e Aquafresca estavam machucados. E mesmo jogando numa seleção muito boa (Giovinco, Osvaldo…) e com jogadores mais velhos que ele, foi o melhor em campo. Quase marcou logo nos primeiros minutos. Depois, o quase virou gol. Um golaço com um chutaço de primeira. E no segundo tempo, por centímetros, não veio um outro golaço, de bicicleta.

Talvez fosse um pouco demais para o primeiro jogo. E para um garoto que, de tão garoto, respondeu o seguinte quando perguntado sobre qual era a principal diferença entre a Inter e a seleção italiana: “Aqui eles me deixam tomar Cola-cola. Mas no Playstation eu também ganho de todo mundo”.

A frase pode até relevar a pouca idade de Balotelli. Mas ele já mostrou que, em relação ao futebol, isso não quer dizer nada. Não costumo ser precipitado, mas aposto que ele continuará queimando etapas. E que, em 2010, estará na África de seus pais biológicos, num certo torneio de futebol.

……………………………

Não há ainda, no Youtube, um vídeo do gol contra a Grécia. Mas há este abaixo, uma “apresentação” do site do próprio jogador. Divirtam-se.

Autor: Tags: , ,

segunda-feira, 19 de maio de 2008 campeonato italiano, jogadores, Sem categoria, técnicos | 20:10

o balanço e as revelações

Compartilhe: Twitter


Não, não se trata de propaganda do PSDB, mas de uma das muitas revelações do Campeonato Italiano 2007-08: Mario Balotelli, da campeã Inter

O tempo está escasso. Mas por sorte recebi um email do Braitner Moreira, do ótimo blog Quattro Tratti, que me “convocava” para uma eleição que eles estão fazendo por lá sobre o balanço final do Italiano. Assim, con il permesso del signor Braitner, vou aproveitar minhas respostas à enquete deles para dizer aqui o que achei de alguns times e personagens da competição.

Gosto especialmente da parte de revelações, que, como já tinha antecipado o Gilson nos comentários do post anterior, foi um dos pontos positivos desse bom Campeonato Italiano. Há outros, dos quais a gente vai falando mais pra frente.

Comentem e dêem suas opiniões sobre o que quiserem. Mas outros candidatos a revelação são especialmente bem vindos, até porque quero fazer um post a respeito em breve. Valeu.

>> Craque do campeonato
Ibrahimovic, o cara que decidiu o campeonato.

>> Melhor técnico
Cesare Prandelli, que colocou a Fiorentina na Liga dos Campeões, seguido de perto pelo Spalletti, que fez a Roma jogar bonito e por pouco não tirou o título de uma Inter com muito mais elenco.

>> Melhor contratação
Se o Juan não tivesse se machucado tanto, estava bem encaminhado para sê-lo… pode ser polêmico, mas fico com o Cassano! Apesar das Cassanadas.

>> Pior contratação
Embora seja do meio da temporada passada, acho que não dá pra não citar o Ronaldo. Pela expectativa que havia em torno dele para esta temporada.

>> Revelação
É meu capítulo preferido. São muitas, e provavelmente vou me esquecer de alguns nomes. Mas de cara eu citaria Giovinco (Empoli), Hamsik (Napoli), Lavezzi (Napoli), Osvaldo (Fiorentina) e Balotelli (Inter). Se for pra escolher só um, ficaria entre o Hamsik e o Balotelli… Tá bom, fico com o Balotelli! Mesmo tendo jogado menos que os outros, fazer o que ele fez com apenas 17 anos, no Campeonato Italiano, não é fácil.

>> Decepção
Assim como o Ronaldo na “pior contratação”, não dá pra não dizer Milan. Mas citaria também o Palermo, de quem esperava bem mais com aquela boa base e a dupla Miccoli-Amauri.

>> Surpresa
O Napoli e seus garotos. Recém-chegado da Série B, o time já cavou uma vaguinha na Intertoto e, quem sabe, já jogue a Copa da Uefa. Dava pra esperar mais?

Autor: Tags: , , , , , , ,