Publicidade

Posts com a Tag sub-21

sexta-feira, 26 de junho de 2009 azzurra | 17:48

Caem os azzurrini

Compartilhe: Twitter

Que fase da Bota…

Como a seleção principal na Copa das Confederações, a sub-21 italiana caiu no campeonato europeu da categoria. Ao contrário da principal, porém, o time dos garotos caiu injustamente, jogando mais e sofrendo um pênalti não marcado contra a seleção alemã.

E foi assim, com alemães de nome como Gonzalo Castro, Ashkah Dejagah, Mezut Ozil e Sandro Wágner que a Alemanha bateu a Itália por 1 x 0 e eu perdi 5 reaizinhos (pra Europeu sub-21 tá bom) na aposta com o Blog do Alemão.

A Alemanha, assim, joga a final contra a Inglaterra, que bateu a Suécia nos pênaltis.

Morre o sonho do título europeu, mas, pelo que os garotos italianos mostraram em campo, não morre a esperança de que alguns deles passem a fazer parte, em breve, do grupo de Marcelo Lippi.

Autor: Tags:

terça-feira, 23 de junho de 2009 copa do mundo | 17:49

A solução vem de baixo?

Compartilhe: Twitter

Se os velhinhos de Lippi deram vexame na Copa das Confederações, a molecada da Azzurrinha vai fazendo sua parte, mesmo que sem muito brilho, na fase final do Europeu Sub-21. O torneio, inicialmente, poderia indicar alguns dos jogadores que virão ao Brasil para a Copa de 2014. Mas na prática, depois do fiasco na África do Sul, essa seleçãozinha tem boas chances de emprestar uma ou outra cara para Marcelo Lippi disputar o Mundial do ano que vem.

Hoje o time ganhou por 2 x 1 da Bielorússia, garantiu a liderança da chave e assim pega a Alemanha nas semifinais do torneio, sexta-feira. Aquafresca, do Genoa, fez os dois gols italianos; mas foi Giovinco, da Juve, quem jogou mais.

Agora é bom ficar de olho nas finais. Porque, até pelo que vem dizendo a imprensa italiana, não são poucos os candidatos à “promoção de seleção”: casos de Motta para a lateral-direita, Criscito ou De Ceglie para a lateral-esquerda, Marchisio e Giovinco para o meio-campo e Balotelli para o ataque. Não são poucos.

Autor: Tags: , , , , , , , , ,

sexta-feira, 5 de setembro de 2008 azzurra, inter, jogadores | 20:54

Balotelli, um italiano

Compartilhe: Twitter

A Itália só empatou com a Grécia, 1 x 1. Adiou assim a classificação para os playoffs que definirão as seleções que jogarão o próximo Europeu sub-21. A vaga será disputada contra a Croácia, fora de casa, e a Azzurrinha deve se classificar no mínimo como um dos melhores segundos colocados. Mas isso tudo não importa muito.

O jogo de hoje só ganhou a capa da Gazzetta dello Sport e a enorme atenção da imprensa italiana por causa de Mario Balotelli. O garoto que aos 18 anos, enfim, fez sua estréia com a camisa da seleção italiana, como você pode ver nesse sorriso aí à esquerda. É que é daqueles jogadores com uma história que valem bem mais que um post de blog.

Ainda assim, lá vou eu. Começando com um resuminho do passado.
 

Ele nasceu em Palermo, filho de imigrantes ganeses, foi adotado com apenas 2 anos pela família Balotelli e, por causa de uma série de imbróglios jurídicos e burocráticos, sua adoção formal demorou a sair — assim como sua nacionalidade italiana.

No fim, a falta do “RG” italiano acabou dificultado a saída de Balotelli para clubes do exterior, como um interessadíssimo Barcelona. Melhor para a Inter, que ganhou a intensa disputa com vários times das Séries A e B italiana — a Fiorentina tinha tudo acertado — e acabou contratando o garoto no dia 31/8/2006.

Daí pra frente, Balotelli foi queimando as etapas. Passou antes do previsto dos “Allievi” para a “Primavera” (as categorias de base da Itália). Depois, virou profissional também “antes da hora”: com apenas 17 anos, coisa rara, fez sua estréia na Série A, promovido pelo técnico Roberto Mancini.

Continuou jogando, e cada vez mais. Rápido, habilidoso e bom finalizador, marcou vários gols. E não demorou a virar o queridinho do novo técnico da Inter, José Mourinho.

Mas só hoje, porque com 18 anos completos pôde obter sua cidadania italiana, Balotelli fez sua estréia em uma categoria de base da Azzurra. Mesmo tendo nascido em Palermo. Mesmo falando italiano perfeitamente. Mesmo se chamando Mario Balotelli. Mesmo tendo recusado vários convites de Gana para jogar pela seleção africana. Mesmo cantando o “Inno di Mamelli” a plenos pulmões.

Enfim, coisas da burocracia. Porque Balotelli é muito italiano, como ele mesmo diz.

Agora, um resuminho do jogo de hoje. Que Balotelli só começou como titular porque Rossi e Aquafresca estavam machucados. E mesmo jogando numa seleção muito boa (Giovinco, Osvaldo…) e com jogadores mais velhos que ele, foi o melhor em campo. Quase marcou logo nos primeiros minutos. Depois, o quase virou gol. Um golaço com um chutaço de primeira. E no segundo tempo, por centímetros, não veio um outro golaço, de bicicleta.

Talvez fosse um pouco demais para o primeiro jogo. E para um garoto que, de tão garoto, respondeu o seguinte quando perguntado sobre qual era a principal diferença entre a Inter e a seleção italiana: “Aqui eles me deixam tomar Cola-cola. Mas no Playstation eu também ganho de todo mundo”.

A frase pode até relevar a pouca idade de Balotelli. Mas ele já mostrou que, em relação ao futebol, isso não quer dizer nada. Não costumo ser precipitado, mas aposto que ele continuará queimando etapas. E que, em 2010, estará na África de seus pais biológicos, num certo torneio de futebol.

……………………………

Não há ainda, no Youtube, um vídeo do gol contra a Grécia. Mas há este abaixo, uma “apresentação” do site do próprio jogador. Divirtam-se.

Autor: Tags: , ,