Publicidade

Posts com a Tag zanetti

sexta-feira, 21 de maio de 2010 campeonato italiano, inter, jogadores, liga dos campeões, técnicos | 11:19

O peso dos campeões

Compartilhe: Twitter

A Inter chegou lá. Depois de ganhar a Copa da Itália, e com mais dificuldade do que há algum tempo aparentava que teria, conquistou o pentacampeonato italiano no último domingo. Um clichê, “a força do conjunto”, tem sido apontado pela imprensa italiana como a principal qualidade do time.

Pode até ser, mas o jornal La Gazzetta dello Sport não se eximiu de atribuir notas a todos os jogadores que participaram da conquista. Um exercício que nos ajuda bem a entender a importância individual de cada um dos campeões italianos.

Vamos às notas: o artilheiro Milito, único “perfeito”, 10. Sneijder ficou com um 9,5, seguido pelo 9 do capitão Zanetti, que completou o “pódio” dos mais importantes. Depois do trio, vieram, juntos, Eto’o, Maicon, Samuel e Lúcio, todos com nota 8. Júlio César e Thiago Motta ficaram com 7,5. Balotelli, Cordoba, Chivu, Pandev e Stankovic receberam 7. Materazzi, Mariga e Vieira, 6,5. Tanto a Muntari como a Santon coube um 6. Quaresma ficou com 5,5 e, por fim, o brasileiro Mancini, que não deixou saudades ao trocar o time pelo rival Milan, 5. Khrin, Arnautovic, Suazo e Stevanovic, que jogaram pouco, e os goleiros Toldo e Orlandoni, que nem jogaram, não receberam notas.

As avaliações referem-se apenas ao Campeonato Italiano. Não levam em conta os jogos da Liga dos Campeões, cuja final acontece no sábado, em Madri, entre Inter e Bayern. E não se enganem: em caso de vitória italiana no torneio europeu, pelo qual a Inter é absolutamente obcecada após 45 anos sem título, a maior nota não será atribuída a um jogador. Mas a um técnico que, definitivamente, não precisaria de mais elogios…

Autor: Tags: , , , , , ,

terça-feira, 7 de abril de 2009 imprensa, jogadores | 15:18

Mais de Adriano

Compartilhe: Twitter

Certamente é discutivel o bom gosto da piada. Mas vou me eximir de comentar para apenas reproduzir a frase do “Il Rompi Pallone” de hoje, na capa da Gazzetta dello Sport, o jornal esportivo mais lido do mundo. Para quem não conhece, a seção do jornal tem apenas uma frase por dia, sempre tirando sarro de alguma personalidade ou fato ligado ao futebol italiano. E a de hoje é a seguinte:

“Adriano adiou novamente seu retorno porque está deprimido: sua namorada quer voltar a ser homem.”

Na parte de dentro do jornal, o capitão interista Javier Zanetti também comenta o tema Adriano. Diz ele ao responder uma pergunta sobre o atacante: “Hoje só me interessa o homem, espero que ele reencontre a serenidade. Fiquei assustado quando disseram que ninguém sabia dizer onde ele estava. Agora, por sorte, a situação parece sob controle”.

Sei que eles só “querem ajudar”, mas me impressiona como esse é o tom de todos os jogadores da Inter. Todos dizem se preocupar apenas com “o homem” Adriano. Do jogador, e das contribuções que ele poderia dar à Inter, parecem já ter desistido.

PS1: O Manchester acaba de entrar em campo para enfrentar o Porto. E as câmeras focalizam… Macheda, que, pasmem, vai ficar no banco.  É um consolo italiano nesta Liga.

PS2: Outra piada que rola na Itália, enviada pelo amigo Maurício Teixeira: “Domingo passado foi um dia incrível: alguém espalhou boatos de que Adriano estava morto e Shevchenko estava vivo”.

Autor: Tags: , ,

quarta-feira, 24 de setembro de 2008 charges, jogadores | 16:15

Zanetti 600 e os ‘jogadores-bandeira’

Compartilhe: Twitter

Tenho um amigo são-paulino que não gosta desse papo de jogador-símbolo. O bicho se irrita quando, badalado, um ‘ex’ volta ao clube onde se consagrou mais pelo passado do que por qualquer outra coisa. Ele acha, resumindo, que o cara só vira ídolo de um time por uma questão de oportunidade, de estar na hora certa no time certo — e, sobretudo, não ter propo$tas melhores de outras equipes naquele momento.

Javier Zanetti acaba de entrar em campo contra o Lecce e completar 600 jogos pela Internazionale. E falo de jogos oficiais. Partidas do tipo valeria-pra-contagem-de-gols-do-romário não entram na brincadeira: são 433 pelo Italiano, 112 em copas européias e 55 em copas nacionais. Amistoso contra o La Spezia, nem pensar, tá fora. Jogos contra o time do exército argentino ou os padres de Milão também.

Zanetti está na Inter desde 1995 e é o terceiro jogador que mais atuou pelo clube, atrás apenas de Giacinto Facchetti (634) e Giuseppe Bergomi (756). E se a gente levar em conta que, apesar dos 35 anos, só no Italiano passado Zanetti atuou 38 (!) vezes, Facchetti deve perder a vice-liderança ainda nessa temporada.

Mas, voltando ao amigo são-paulino, sou o contrário dele. Adoro que um ídolo dos velhos tempos volte para o meu time. Acho demais que o craque da minha equipe frequentasse as arquibancadas como torcedor antes de virar jogador. O cara nunca ter vestido outra camisa, então, é o máximo que pode haver.

Pode ser romantismo e, no caso do Brasil, quase utopia (Marcos, Ceni e quem mais?). Na Itália (e na Europa em geral), porém, contar com um jogador com esse perfil, o perfil de Zanetti, é quase que obrigatório para os grandes times. Acha que não? Então dê uma espiada aqui:

PAOLO MALDINI, MILAN
40 anos e 873 jogos pelo clube
Ganhou “só” 7 Campeonatos Italianos, 5 Ligas dos Campeões, 3 Copas Intercontinentais (inclui Mundial), uma Copa Itália, 3 Supercopas Italianas e 4 Supercopas Européias. Falta só a Uefa: será agora?

JAVIER ZANNETTI, INTER
35 anos e 600 jogos pelo clube
Ganhou 3 Campeonatos Italianos, 2 Copas Itália, 4 Supercopas Italianas e uma Copa da Uefa.

ALESSANDRO DEL PIERO, JUVENTUS
33 anos e 564 jogos pelo clube
Ganhou 5 Campeonatos Italianos, uma Liga dos Campeões, uma Copa Intercontinental, 4 Supercopas Italianas, uma Supercopa Européia e uma Copa Intertoto.

FRANCESCO TOTTI, ROMA
32 anos e 510 jogos pelo clube
Ganhou um Campeonato Italiano, duas Copas Itália e duas Supercopas Italianas.

Mas nem tente definir qual deles é mais “símbolo” do seu time. Os números de Maldini, óbvio, são praticamente imbatíveis. Mas garanto que interistas, juventinos e romanistas têm todos bons argumentos para eleger o seu ídolo como “rei dos reis”.

Para saber tudo sobre a rodada, incluindo os detalhes dos jogos dos grandes, clique aqui.

Autor: Tags: , , , ,

quarta-feira, 16 de abril de 2008 hinos, inter, Sem categoria, vídeos | 11:28

o hino da inter

Compartilhe: Twitter

Não, não quero aqui antecipar o fim do Italiano.

A inspiração veio do comentário do sempre presente Raí, que, eufórico, colocou o hino da Fiorentina em um comentário após a vitória sobre o Ajax na Copa da Uefa. Fui procurar o hino no Youtube, até encontrei, mas, confesso, acho que vocês não se divertiriam muito se eu o colocasse aqui.

Fui então atrás de outros hinos, para iniciar uma série de posts sobre o tema. Entre os mais divertidos, encontrei duas versões do hino interista cantadas pelos próprios jogadores do time. Uma mais antiga e outra depois do último scudetto. Sempre sob o comando de Javier Zanetti, que, com sua voz meio rouca, bem no estilo Festival de San Remo, caiu no gosto dos italianos — está prestes a gravar uma música do Eros Ramazzotti, não me lembro bem com qual finalidade.

Neste primeiro vídeo, o mais recente, vale prestar atenção na participação do nosso Júlio César, que, ao contrário de Zanetti e dos demais argentinos, como cantor é um ótimo goleiro. Particularmente, gosto mais da edição do segundo vídeo, mais antigo, com participações de, entre outros, Cannavaro, Recoba, Vieri, Oba Oba Martins…

Autor: Tags: , ,